Em pronunciamento sobre os resultados da Netflix no primeiro semestre de 2022, o CEO e co-fundador da empresa, Reed Hastings, admitiu pela primeira vez, que, nos próximos um ou dois anos, a plataforma pode começar a exibir propagandas e anúncios publicitários. “Quem acompanha a Netflix, sabe que eu sempre fui contra a complexidade da publicidade e a favor da simplicidade dos planos de assinaturas”, disse ele. “Mas, por mais que eu seja fã disso, sou um fã maior ainda da escolha do consumidor. E permitir que os consumidores que gostariam de ter um preço mais baixo e são tolerantes à publicidade consigam o que querem, faz muito sentido”, completou Hastings.

Essa é uma mudança de postura radical da empresa que foi sempre contra inserir publicidades em sua plataforma. Alegando, para isso, preocupações com a privacidade de seus clientes e também dificuldades de integrar outras marcas, de forma “natural” em sua “interface” que já é bastante desenvolvida e conhecida do público. Contudo, acontecimentos recentes no mercado de streaming, parecem ter feito com que a Netflix começasse a repensar sua posição.

Reed Hastings em apresentação em Berlim, em 2015.

Primeiro, porque diversas outras plataformas concorrentes, como a Disney+ e a HBO Max, utilizam um modelo de planos de assinatura mais baratos e com a presença de publicidade. Modelo esse que, o próprio Hastings, admitiu “estar funcionando”. Segundo, porque a Netflix começa a enfrentar a concorrência ferrenha de outras plataformas de streaming e isso, entre outras coisas, tem freado bastante seu crescimento. Apesar de ainda liderar com folgas o mercado de streaming, com mais de 220 milhões de inscritos no mundo todo, a empresa registrou a sua primeira perda significativa no número de assinantes em 10 anos. Segundo reportagem do site norte-americano Hollywood Reporter, a plataforma teria perdido cerca de 200 mil assinantes no mundo todo, no primeiro semestre desse ano.

Mudanças não afetarão a todos

Hastings garante que se esse novo modelo de negócios for implantado, ele não afetará todos os planos de assinatura. Na verdade, assim como outras plataformas de streaming que operam nesse modelo, a Netflix deverá oferecer planos de assinatura com valores mais baixos e com publicidade. O CEO disse que a empresa está disposta a oferecer “preços ainda menores”. Além disso, segundo ele, os planos de assinatura existentes atualmente, e que não contam com publicidade, não deverão ser afetados pelas mudanças. O CEO garantiu que o consumidor apenas terá “novas opções de planos” mais baratos e com publicidade embutida.

Hastings disse ainda que não existe prazo para que esse novo modelo de negócios seja implantado pela Netflix, mas que a empresa deverá decidir isso nos “próximos um ano ou dois”. O CEO disse ainda, que essa não é uma solução de curto prazo porque, segundo ele, nem todos os consumidores aceitarão logo de cara esses planos mais baratos com publicidade. “Quando você começa a oferecer planos mais baratos com anúncios, alguns consumidores o aceitam. Mas temos uma grande base instalada que provavelmente está muito feliz onde está”. Por isso, Hastings acredita que essa mudança levará alguns anos para ser completamente implantada. Para muitos especialistas de mercado, essa é a única forma de a empresa conseguir continuar crescendo.

Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários