Em Lost Girls: Os Crimes de Long Island acompanhamos a saga de Mari Gilbert na luta por justiça. Sua filha de 24 anos desapareceu em 2010 na região de Gilgo Beach em Long Island.

O filme lançado em 2020 é dirigido por Liz Garbus (What Happened, Miss Simone- 2015) e conta com roteiro de Michael Werwie baseado no livro  Lost Girls: An Unsolved American Mystery, que é um best-seller escrito por Robert Kolker.

A trama gira em torno da luta de Mari Gilbert pela investigação do desaparecimento de sua filha Shannan Gilbert que a partir de maio de 2010 não foi mais vista e nem deu nenhum sinal de vida.

Shannan tinha o sonho de se tornar atriz e morava em Jersey City onde trabalhava como garota de programa. A jovem não deu mais notícias após uma ligação que fez para o serviço 911 em uma chamada pedindo por socorro.

Elenco do filme

O longa conta com as atuações de  Amy Ryan (Birdman- 2014) vivendo a ativista Mari Gilbert,  Thomasin McKenzie (Leave No Trace- 2018) como Sherre Gilbert, Oona Laurence (Os Enganados- 2017) como Sarra Gilbert, Miriam Shor (Swingtown- 2008) como Lorraine, Dean Winters ( Brooklyn Nine-Nine) como Dean Bostick e Gabriel Byrne (Hereditário- 2018) como Comissário Richard Dormer.

Lost Girls: Os Crimes de Long Island
Imagem: Lost Girls: Os Crimes de Long Island/ Reprodução

Veja mais análises sobre filmes baseados em fatos reais:

As filmagens de Lost Girls: Os Crimes de Long Island tiveram início em outubro de 2018, na cidade de Nova York e inicialmente o longa seria protagonizado por  Sarah Paulson (American Crime Story) fazendo o papel de Mari Gilbert, mas a atriz viria a ser substituída por Amy Ryan.

O filme também seria distribuído pela Amazon Studios, porém em maio de 2018 a Netflix anunciou que ficaria responsável pelos direitos da produção que a partir de 13 de março de 2020 ficaria disponível em seu catálogo de filmes.

Uma curiosidade é que a atriz Thomasin McKenzie estava cotada para estrelar Top Gun: Maverick ao lado de Tom Cruize, mas abandonou o projeto para trabalhar no filme Lost Girls.  Top Gun: Maverick será uma continuação do filme de 1986 e trará Tom Cruise e Val Kilmer repetindo seus papéis do original.

A história dos crimes em Long Island

A história de Mari Gilbert começa com sua ida para o estado de Nova York na intenção de fugir do primeiro marido que era viciado em heroína. Seu próximo companheiro também seria um problema, ao ponto de ser preso por agredi-la.

As filhas de Mari Gilbert ficariam por quase dois anos em um lar para crianças pelo fato da família passar por muitas dificuldades. As meninas voltaram para a guarda de mãe, mas Shannan Gilbert continuaria no lar durante os próximos anos.

Mari não conseguia lidar com a rebeldia da filha mais velha, que sairia de casa para começar sua vida em Jersey City. No dia 1 de maio de 2010, Shannan desapareceu na região de Gilgo Beach em Long Island após fazer uma ligação para a emergência.

Na ligação que demorou mais de vinte minutos, Shannan parecia estar extremamente desesperada, além de ter sido vista correndo pela rua e pedindo ajuda. Mesmo com todo o desespero da garota, a polícia demorou cerca de uma hora para atender a ocorrência.

Crimes
Imagem: Site Acredite ou Não/ Reprodução

Negligência da polícia local

O caso foi negligenciado pelas autoridades locais e Mari Gilbert acreditava que a polícia não dava prioridade ao desaparecimento por Shannan se tratar de uma garota de programa.

Mari então levou o caso para a imprensa na busca por justiça, pressionando as autoridades para que continuassem com as investigações. Até que meses depois um cão farejador encontrou restos mortais de uma garota na região de Gilgo Beach.

As buscas pelo local levaram à descoberta de mais três corpos, sendo que todos eles se tratavam de garotas de programa que usavam o serviço do Craigslist para marcar seus encontros.

Mais tarde outras seis garotas seriam encontradas mortas nas proximidades, porém nenhuma delas se tratava de Shannan Gilbert. As investigações por fim concluíram que um assassino em série estaria atuando na região.

Em 2011 o corpo de Shannan também seria encontrado em um pântano próximo à Gilgo Beach, mas a polícia concluiu que a jovem não tinha sido assassinada e sim que ela teria se afogado por acidente.

Mari Gilbert lutou com todas as forças para que o caso fosse reaberto como um homicídio e incluído ao das meninas de Long Island. Uma autópsia contratada por Mari levantou novas evidências, mostrando que Shannan teria sido estrangulada.

O discurso ideológico do filme

O fato de  Shannan Gilbert se tratar de uma garota de programa causava indiferença por parte dos investigadores do caso e a diretora do longa Liz Garbus utiliza a narrativa para abordar o desprezo das autoridades pelos grupos inferiorizados na sociedade, como é o caso das garotas de programas e dos travestis.

Lost Girls: Os Crimes de Long Island
Imagem: Lost Girls: Os Crimes de Long Island/ Divulgação

O filme peca um pouco por não deixar claro a cronologia dos acontecimentos e não consegue dar o enfoque necessário ao desenrolar da investigação. Muito disso se deve ao fato da complexidade do caso que além dos vários elementos que o compõem, ainda conta com uma pitada de descaso e falta de seriedade.

Por outro lado é levantada uma questão interessante sobre como os moradores do condomínio de classe alta são privilegiados pela polícia local, enquanto as jovens são sempre abordadas como prostitutas e garotas de programa ao invés de mulheres que foram brutalmente assassinadas.

A história de Mary Gilbert na vida real não teve um final feliz. A mãe de Shannan foi assassinada pela filha mais nova Sarra Gilbert no apartamento onde morava. Sarra sofre de esquizofrenia e durante um surto matou sua mãe com mais de 200 facadas além de espanca-la com um extintor de incêndio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui