A série Loki acaba de estrear no catálogo do Disney+, e como já era esperado, vem arrancando muitos elogios por parte fãs e também da crítica. A produção era uma das mais aguardadas do ano, e as expectativas parecem ter sido alcançadas.

O primeiro episódio mostrou-se bastante confiante, mergulhando em seus personagens, sem se preocupar intensamente com as cenas de ação. Confiança essa, que Falcão e o Soldado Invernal não foi capaz de demonstrar.

Com uma história inteligente, uma produção bastante rica, um elenco afiado e alguns temas complexos, a série vem para mostrar que a Marvel não tem medo de explorar novos caminhos.

Loki
Imagem: Loki/ Reprodução

Loki tem se mostrado um dos personagens mais interessantes do Universo Cinematográfico da Marvel, desde sua estreia no filme “Thor” de 2011. Além disso, até hoje ele é considerado como um dos melhores antagonistas, por sua ótima performance em “Vingadores” de 2012.

Já estava mais do que na hora do personagem ganhar seu merecido destaque, e a série parece desempenhar brilhantemente esta função. A mistura entre elementos como, ficção científica, comédia e viagem no tempo, parece ser uma receita vitoriosa, sem contar com a ótima química demostrada entre Tom Hiddleston e Owen Wilson.

Mesmo com diálogos complexos, a boa interação entre os atores não é nem um pouco cansativa, mas pelo contrário, funciona perfeitamente como construção de uma relação interessante entre os dois.

Juntos, eles formam uma parceria digna de grandes mistérios policiais, e conseguem manter a leveza necessária para o equilíbrio entre ação e comédia que a série deseja proporcionar.

A premissa da trama nasce com Vingadores: Ultimato, quando a equipe de heróis volta no tempo até a Batalha de Nova York, onde enfrentavam um exército Chitauri comandado por Loki.

No meio da confusão, ele consegue escapar com o Tesseract, criando uma linha do tempo alternativa. A partir daí, acompanharemos o Deus da Trapaça, que é preso por agentes de uma organização denominada AVT (Autoridade de Variação Temporal).

Loki
Imagem: Autoridade de Variação Temporal/ Reprodução

Nessa organização com jeito de repartição pública, Loki é condenado por interferir no que os agentes chamam de Linha do Tempo Sagrada. Contudo, o agente Mobius (Owen Wilson), acha que ele poderá ajudá-lo com um caso especialmente difícil.

Tudo indica que veremos o protagonista em várias épocas da história, interagindo e manipulando acontecimentos com toda a perspicácia, que o tornou famoso nas produções do Marvel Studios.

As primeiras críticas já estão disponíveis, e até agora, a série tem recebido muitos elogios, principalmente pelas performances de Hiddleston e Wilson. Conforme as opiniões analíticas, a espera pela estreia valeu muito a pena.

Os dois primeiros episódios já foram disponibilizados para a imprensa especializada, que também se mostra empolgada pela sequência dos acontecimentos da série, e isso com certeza é um bom termômetro sobre a qualidade da trama.

A captura de Loki por uma organização tão poderosa quanto burocrática, força o personagem a confrontar sua própria natureza, o que enriquece muito sua presença e motivação vilanesca em todos os filmes dos quais participou.

Além disso, a trama ajuda a explicar de forma inteligente, muitas pontas soltas que foram deixadas pelo grande confronto que aconteceu em “Vingadores: Guerra Infinita” e “Vingadores: Ultimato“.

O jeito é esperar pela estreia dos próximos episódios para descobrir os caminhos pelos quais a série Loki irá se aventurar.

E aí galera, qual o nível de expectativa para a estreia dos próximos episódios da série Loki do Disney+?

Então não marque bobeira!!!

Fique por dentro das séries do Marvel Studios na página Proddigital POP e também siga nossas redes sociais Instagram, Twitter, Facebook e Pinterest para não perder nenhuma novidade no universo da cultura POP!!

 

Leia também:
Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários