Steve Jobs é um filme americano do gênero drama biográfico, que se baseia em trechos da vida e da carreira de uma das personalidades mais influentes de todos os tempos.

Além de um grande inventor e designer, ele foi um mega empresário no setor da informática e ficou imortalizado como co-fundador, presidente e diretor executivo da empresa multinacional de tecnologia Apple Inc.

Jobs foi um dos responsáveis por revolucionar grandes setores da indústria tecnológica, que continuam em larga escala de expansão até os dias atuais, como computadores pessoais, telefones, tablets, além dos filmes de animação, música e publicações digitais.

O longa foi realizado por Danny Boyle, e produzido por Scott Rudin através de uma parceria entre os estúdios Legendary Pictures, Scott Rudin ProductionsMark Gordon Company.

O roteiro de Steve Jobs foi elaborado por Aaron Sorkin, como uma adaptação parcial da biografia autorizada de mesmo nome, escrita por Walter Isaacson.

Lançado quatro anos depois da morte de Steve Jobs, o filme chegou aos cinemas americanos em 09 de outubro de 2015, mas só estreou no Brasil em 21 de janeiro de 2016.

Reprodução
Imagem: Steve Jobs/ Reprodução

O longa conta com um elenco de peso, formado pelos atores Michael Fassbender como Steve Jobs, Kate Winslet como Joanna Hoffman, Seth Rogen como Steve Wozniak, Jeff Daniels como John Sculley, Katherine Waterston como Chrisann Brennan e Michael Stuhlbarg como Andy Hertzfeld.

Steve Jobs ainda traz as atrizes Makenzie Moss, Ripley Sobo e Perla Haney-Jardine, todas representando a filha de Steve Jobs, Lisa Brennan-Jobs, porém com idades diferentes.

A trama se passa em três momentos importantes da vida de Jobs, que são divididos pelas apresentações da linha de computadores pessoais Macintosh, em 1984, de sua nova empresa NeXT, em 1985, e finalmente dos populares iMac, em 1998.

O longa segue acompanhando o cofundador da Apple, nos bastidores destes importantes eventos, enquanto ele precisa lidar com diversos problemas relacionados a sua vida pessoal e profissional.

O enredo gira praticamente por inteiro em torno da conturbada relação com sua filha, Lisa, mas também traz detalhes importantes sobre sua saída da Apple e o seu retorno para a empresa.

Steve Jobs também tenta refletir como era trabalhar com uma das mentes mais brilhantes da indústria tecnológica, que ficou bastante conhecido por sua excentricidade e métodos nada convencionais de persuasão.

A vida e a personalidade de Steve Jobs

Steven Paul Jobs nasceu em São Francisco, sendo filho biológico de Joanne Schieble Jandali Simpson e de Abdulfattah Jandali, que cederam a guarda do filho para adoção, por conta da não aceitação de suas famílias.

Em 1955, o casal Paul Reinhold Jobs e Clara Hagopian Jobs adotou o menino recém nascido, e o levaram para sua residência em Mountain View, ao sul de Palo Alto, onde ele passaria toda sua infância e adolescência.

As primeiras lições sobre design foram aprendidas durante o tempo que Steve passava na oficina montada na garagem de seu pai, que tentava ensiná-lo sobre os princípios da mecânica, enquanto reformava e vendia carros usados.

Durante o tempo que passou na Universidade Reed College, Jobs começou a se interessar por espiritualidade e se tornou adepto de dietas compulsivas. Ele andava descalço, não tomava banho e fazia pequenos consertos nos equipamentos do laboratório de Psicologia para ganhar algum dinheiro.

Em 1974 ele conseguiu um emprego na Atari, onde seria responsável, junto com seu amigo de longa data, Steve Wozniak, pelo desenvolvimento de uma versão do jogo Pong para um jogador.

Esta passagem tornou-se famosa, pois Jobs pagou apenas parte dos honorários e nenhum valor referente ao bônus que foi pago a ele pela economia do projeto, sendo que Wozniak ficaria sabendo do ocorrido, somente depois de uma década.

Steve Jobs e Steve Wozniak
Imagem: Steve Jobs e Steve Wozniak/ Arquivo pessoal

Leia também:

Em 1978, sua filha com Chrisann Brennan nasceu, uma menina chamada Lisa, que ele não assumiu. Ele pediu um exame de DNA, uma vez que o casal não vivia um relacionamento muito estável.

Mesmo com o teste sendo confirmado como positivo, Jobs ainda levou anos para assumir a paternidade de Lisa.

Ele se relacionou com diversas mulheres, mas nunca teve um relacionamento sério com nenhuma delas, até que no final da década de 1980, apaixonou-se e casou-se com Laurene Powell (1991), com quem teve três filhos.

Uma curiosidade que poucos conhecem, é que em 1986, Esteve Jobs adquiriu um estúdio de computação gráfica que fazia parte da Lucasfil, o Pixar Studios, pelo valor de dez milhões de dólares.

Através de uma parceria, no mínimo, vitoriosa, com a Disney Pictures, a Pixar foi responsável por produzir diversas animações de sucesso, que embalaram gerações. Entre os maiores títulos estão, “Procurando Nemo”, “Toy Story”, “Ratatouille”, e “Up – Altas Aventuras“.

Devido a compra do Pixar Studios pelo grupo Walt Disney, Jobs tornou-se o maior acionista individual da Disney, onde ele ainda chegou a ocupar o posto de diretor executivo.

A rivalidade de Steve Jobs com Bill Gates, ex-presidente e principal acionista da Microsoft, já é elemento cultural do setor. disputa que existia entre eles e suas respectivas empresas muito antes de serem os ícones e “ídolos” que são hoje.

Walter Isaacson descreve uma conversa entre Steve e Bill em sua biografia autorizada, onde o co-fundador da Apple já se encontrava muito debilitado, até mesmo para se levantar de sua cama.

Eles passaram várias horas conversando sobre diversos assuntos, como família, negócios e o destino de suas vidas. Segundo Isaacson, Esteve viria a falecer pouco tempo depois dessa visita.

No final de 2003, Jobs foi diagnosticado com um tipo de câncer pancreático raro, que debilita principalmente as funções exócrinas do órgão. Em julho do ano seguinte ele passou por uma cirurgia para retirada do tumor.

Ele lutou contra a doença durante anos, mas em agosto de 2011 renunciou à presidência da Apple Inc., pois já se encontrava muito debilitado para cumprir as rotinas da empresa. Em sua carta de demissão, ele recomendou que Tim Cook fosse seu substituto.

Esteve Jobs veio a falecer no dia 5 de outubro de 2011, depois de sofrer uma parada cardíaca. Ele foi enterrado em Palo Alto, no Condado de Santa Clara, Califórnia.

O enredo do filme Steve Jobs

Steve Jobs faz uma análise da vida do magnata da Apple, divida por três partes distintas, onde cada uma delas é focada no lançamento de produtos considerados importantes para a sua carreira.

Mas quem pretende acompanhar os belos discursos que eram a marca registrada de Jobs, vai acabar se decepcionando, pois o longa trabalha muito mais com o universo por trás dos bastidores.

Steve
Imagem: Steve Jobs/ Reprodução

O primeiro grande evento do filme se passa em 1984, depois do sucesso de vendas do Apple II, e durante os preparativos para o lançamento do computador Macintosh.

Jobs precisa lidar com a ansiedade de um público que deseja conhecer cada detalhe por trás de uma máquina que foi criada com o objetivo revolucionar o conceito que se tinha na época, em relação aos computadores domésticos.

Mas por trás dos holofotes, ele tem de se preocupar com muitos problemas técnicos, diversos funcionários precisando de sua orientação e com cada detalhe que não pode dar errado na hora da apresentação.

Como se fosse pouco, sua ex-esposa escolhe o pior momento para discutir a relação e exigir que ele arque com as responsabilidades, uma vez que ele nunca assumiu a paternidade da pequena Lisa.

Steve insiste em afirmar que a garota não é sua filha, mesmo depois de um exame de DNA comprovar que as chances de ele estar enganado, são de 94,1%.

O longa salta no tempo e nos leva para o lançamento do computador NeXT, em 1988, quando Steve Jobs já estava fora da empresa que o consagrou.

Jobs desenvolveu uma nova máquina voltada para fins educacionais, que por sinal ainda não está completamente pronta. Ele conta apenas com uma DEMO para fazer sua apresentação.

Seus amigos Andy Hertzfeld e Steve Wozniak tentam avisar que seu novo computador não atenderá às expectativas do mercado, mas ele já tem um plano para lidar com esse problema.

Aqui podemos ver que a relação entre Jobs e sua filha Lisa fez algum progresso, mas ainda não é aquilo que se espera de um relacionamento saudável. Contudo, a garota da sinais de que a vida com sua mãe também não é das melhores.

Mesmo não assumindo todas as suas responsabilidades, Steve defende a integridade de sua filha diante das imprudências de Chrisann. Isso demonstra que suas atitudes diante da ideia de ser pai estão diferentes.

Chegamos no ápice desta etapa e provavelmente na melhor cena do longa, onde temos o confronto entre John Sculley e Steve Jobs e começamos a entender como aconteceu a saída da Apple.

Sculley procura Steve momentos antes do lançamento do NeXT, para tentar convencê-lo de que não foi responsável por sua saída da Apple, mas sua versão dos acontecimentos não são suficientes para amenizar as coisas.

Ele precisa que Jobs diga para a imprensa que ele não é o culpado por sua demissão, pois sua vida está em risco, devido a imensa proporção que a história ganhou na mídia.

Mas Steve tem a certeza de que ele manipulou a diretoria e fez de tudo para sabotar o lançamento do Macintosh, pois acreditava em uma atualização do Apple II para recuperar a credibilidade no mercado.

Finalmente, o filme nos leva para o retorno triunfante de Steve Jobs à companhia que ele ajudou a fundar. Estamos agora em 1998, com a apresentação de uma nova linha de computadores.

Depois de uma grande queda nas ações da Apple e a perda de uma bela fatia do mercado, a empresa está voltando a retomar seu prestígio novamente, devido a boa aceitação do iMac.

Contudo, mesmo com o sucesso da empresa, a vida pessoal de Steve não vai nada bem, pois além de estar se afastando cada vez mais das pessoas ao seu redor, sua filha nunca esteve tão distante.

Agora, além de fazer uma apresentação impecável do seu novo computador, Jobs precisará mudar de atitude para tentar retomar seu relacionamento com Lisa e remediar tudo que sua ausência como pai causou na vida da garota.

Personagens Principais

Steve Jobs

Steve Jobs
Imagem: Michael Fassbender como Steve Jobs/ Steve Jobs

Steve Jobs, interpretado por Michael Fassbender, é o co-fundador da Apple Inc. e uma das personalidades mais influentes, que foi responsável pelo desenvolvimento de muitas soluções tecnológicas durante sua carreira.

Contudo, sua relação com os colegas de trabalho e principalmente com sua família não é nada fácil.

Enquanto precisa lidar com todos os problemas técnicos das apresentações mais importantes de sua carreira, ele ainda tem que aceitar a paternidade e aprender a se relacionar com sua filha Lisa.

Jobs tem uma personalidade narcisista e não se importa com nada além de seu próprio ego, mesmo que isso signifique ser extremamente insensível e cruel com todos que sejam contrários à sua opinião.

Sua ideia de uma máquina que funciona com um sistema fechado de ponta a ponta, acaba sendo um verdadeiro fracasso de vendas, um dos fatores que ajudou a resultar na sua demissão da Apple.

Mas a compra da sua empresa NeXT pela Apple em 1996, traria Jobs de volta como o CEO da companhia que ele mesmo ajudou a fundar.

Joanna Hoffman

Joanna Hoffman
Imagem: Kate Winslet como Joanna Hoffman/ Steve Jobs

Joanna Hoffman, interpretada por Kate Winslet, é o oposto de Steve Jobs, contudo é seu braço direito em todas as frentes de sua carreira. Ela sempre está ao seu lado, sendo um dos membros originais do time criador do Macintosh e do NeXT.

Joanna se esforça para manter tudo caminhando em perfeita sincronia, enquanto precisa lidar com as decisões imprevisíveis de Steve. Ela sabe que ele tem um potencial inigualável, mas também sabe que seu ego pode ser autodestrutivo.

Quando Jobs rejeita sua própria filha, Hoffman tenta mostrar que ele está errado e que deve dar mais atenção ao seu crescimento, mas como já era de se esperar, ele está convencido de que Lisa não é sua responsabilidade.

Depois que Steve foi afastado da Apple por causa de seu fracasso com o projeto Macintosh e suas brigas com os acionistas, Joanna continuou com ele em sua nova empresa, a NeXT, que iria desenvolver um novo e revolucionário projeto

Até os dias de hoje, Hoffman é lembrada como uma verdadeira lenda na empresa, pelo fato de ter sido uma das poucas pessoas que conseguiram trabalhar ao lado de Steve Jobs sem surtar.

Lisa Brennan-Jobs

Lisa Brennan-Jobs
Imagema: Makenzie Moss como Lisa Brennan-Jobs/ Steve Jobs

Lisa Brennan-Jobs, interpretada pelas atrizes Makenzie Moss, Ripley Sobo e Perla Haney-Jardine em fases diferentes, é a filha de Steve Jobs, mesmo ele não admitindo sua paternidade em seus primeiros anos de vida.

A mãe de Lisa, Chrisann Brennan, procura por Jobs no dia de sua importante apresentação de lançamento do computador Macintosh, para pedir sua ajuda, pois as duas estão passando por dificuldades, enquanto ele acumula um patrimônio milionário.

Mesmo aceitando ajudar Chrisann, lhe dando uma casa e alguma ajuda financeira, ele não admite que a menina seja sua filha, mesmo depois de um exame de DNA comprovar que existem 94% de ele estar errado.

Lisa é uma garota muito esperta que adora aprender coisas novas com Steve, mas ele não deseja assumir sua paternidade, pois acredita que não é a hora certa para deixar de manter o foco em seu trabalho.

Contudo, ela é muito parecida com seu pai, e aos poucos, ele mesmo percebe que a garota é mesmo sua filha. A relação entre os dois é bem distante no começo, mas com o passar do tempo eles passam a se aproximar.

Stephen Gary Wozniak

Steve Wozniak
Imagem: Seth Rogen como Steve Wozniak/ Steve Jobs

Steve Wozniak, interpretado por Seth Rogen, também é um dos co-fundadores da Apple Inc., e possivelmente um dos amigos mais próximos de Steve Jobs, que esteve ao seu lado desde o começo da empresa.

Em nome de sua amizade Wozniak procura Jobs momentos antes do lançamento do Macintosh para pedir que ele citasse a equipe do Apple II em sua apresentação, como forma de reconhecimento pelo grande sucesso do projeto.

Mas Steve é muito orgulhoso para ligar seu novo projeto revolucionário a uma máquina que ele considera ultrapassada, mesmo com o faturamento do Apple II sendo o responsável pela visibilidade da empresa.

Em 1998, durante a apresentação do computador iMac, que marcou o retorno de Steve Jobs à Apple, Wozniak novamente faz o mesmo pedido e mais uma vez recebe uma negativa.

Stephen Wozniak é um dos pioneiros na iniciativa de desenvolvimento de computadores para o público comum. Sua engenhosidade, persistência e criatividade, foram responsáveis por dar início a uma revolução das máquinas de uso pessoal.

John Sculley

 John Sculley
Imagem: Jeff Daniels como John Sculley/ Steve Jobs

John Sculley, interpretado pelo ator Jeff Daniels, é o CEO da Apple Inc., e uma figura quase paternal para Steve Jobs no mundo dos negócios. Mas ainda assim, ele foi um dos grandes responsáveis pelo seu afastamento da empresa.

Conhecido por seu talento com marketing, Sculley ficou conhecido, sua atuação no grupo Pepsico, foi responsável por a empresa faturar parte do mercado de sua rival, a Coca Cola.

Ele usou de estratégias parecidas no decorrer das décadas 1980 e 1990, enquanto esteve à frente da Apple, para emplacar o mercado de computadores Macintosh.

Momentos antes do lançamento do NeXT, John Sculley procura Steve para revelar que ele não foi responsável por sua saída da Apple, mas não o convence com sua versão dos acontecimentos.

Sculley precisa que Jobs diga para a imprensa que ele não teve culpa por sua demissão, pois sua vida está sendo ameaçada, devido a gigantesca proporção que a história ganhou na mídia.

Mas Steve tem a certeza de que ele manipulou a diretoria e fez de tudo para sabotar o lançamento do Macintosh, pois acreditava muito mais em uma atualização do Apple II para recuperar o mercado.

Qual o diferencial de “Steve Jobs” quando comparado à outras produções biográficas

Não é nada fácil identificar Steve Jobs na imagem do ator Michael Fassbender, apesar do trabalho feito com perucas, cortes de cabelo e maquiagens ser muito bom, diga-se de passagem.

Isso pode até ser visto como um obstáculo para aqueles que buscam fidelidade visual como foi visto no longa antecessor, “Jobs” – 2013, estrelado por Ashton Kutcher, que por sinal, tem uma semelhança assustadora com Steve Jobs.

Por outro lado, esse fator coloca mais pressão nas costas de Fassbender, e praticamente exige que sua interpretação seja boa o suficiente, a ponto de fazer com que o público se sinta envolvido pela trama.

De fato isso acontece, e o ator faz um ótimo trabalho ao trazer a essência de Steve Jobs para além da aparência física, somente focando em seu comportamento e na sua figuração imponente.

O roteiro do longa é simples e objetivo, pois não perde tempo com apresentações desnecessárias e já começa a contar sua história desde o primeiro ato, onde percebemos logo de cara que não será focado apenas na carreira de Jobs, mas principalmente em seus conflitos.

Algum tipo de problema que sempre surge no pior momento possível, elementos que o roteiro utiliza para ilustrar que o co-fundador da Apple era um homem que vivia para analisar dificuldades, e transformá-las em algo produtivo.

Steve Jobs
Imagem: Steve Jobs/ Reprodução

Ao longo do filme percebemos que os personagens estão sempre discutindo, berrando ou quebrando a cabeça, até o momento de Jobs chegar e tomar uma decisão.

De fato, Michael Fassbender deixa de lado qualquer preocupação com o fato de sua aparência não ser compatível com a realidade e traz o foco para a personalidade fria e narcisista de Steve Jobs.

Para aqueles que não tinham conhecimento sobre a vida de Jobs, assistir ao longa é uma uma experiência verdadeiramente poderosa, pois expande a visão sobre uma pessoa que era extremamente calculista, e sempre focada em obter resultados.

Talvez uma das melhores escolhas do diretor Aaron Sorkin tenha sido trazer trechos tão importantes da carreira de Steve Jobs para dividir a história. Isso faz com que possamos entender como Jobs se tornou uma personalidade tão importante de uma forma muito dinâmica.

Contudo, apesar da relação que ele tinha com as pessoas no seu trabalho e principalmente na sua vida pessoal ser complicada, o longa acaba tomando algumas decisões exageradas para deixar o roteiro mais coeso, como foi mencionado por algumas das pessoas que conviveram com ele na vida real.

Ainda assim, precisamos ressaltar que a “cereja do bolo” é o relacionamento de Steve com sua filha Lisa. De fato, a grande ligação emocional que faz com que o público se conecte com o filme é a ligação dos dois, mesmo ele sendo enfático em afirmar que não é pai da garota.

O mais impressionante sobre Fassbender, é que mesmo quando as palavras que saem de sua boca são: “ela não é minha filha”, mesmo assim o ator consegue deixar impresso em seu semblante, que não acredita no que está dizendo.

Na medida em que o tempo passa e a garota cresce, também conseguimos entender o quanto a relação entre eles vai se aproximando do que deveria ser desde o começo.

Todos esses fatores fazem com que ao longo do filme, o público se conecte aos poucos com a história de Jobs, e consiga entender como funcionava a mente do ex-CEO da Apple, bem diferente do que já havia sido feito no cinema até então.

E aí cinéfilo, o que achou do nosso conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários e acompanhe as notícias e análises da nossa página, para que a equipe Proddigital POP possa continuar na jornada do crescimento!

Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários