Logo da premiação Ariel Awards
Ariel Awards - Divulgação
Primeira edição1946
Onde ocorreMéxico
FundadorAcademia Mexicana de Artes e Ciências Cinematográficas
Tipo de premiaçãoPremiação da indústria cinematográfico do México
Quando é realizado?Anualmente

O Ariel Awards é prêmio de maior destaque dentro do setor cinematográfico mexinano, e conta com grande relevância não apenas nacional, mas também internacional.

Neste artigo, vamos mergulhar na história da premiação, conhecer quais são suas principais categorias, filmes que mais venceram o prêmio, e também os atores e atrizes que mais vezes ficaram com a estatueta, dentro da categoria de atuação. Acompanhe!

O que é o Ariel Awards?

O Ariel Awards é o prêmio mais importante da indústria cinematográfica do México, sendo entregue anualmente pela Academia Mexicana de Artes e Ciências Cinematográficas (AMACC).

A premiação tem como objetivo justamente promover a excelência cinematográfica no país, e impulsionar a indústria do setor. Frente a isso, já se tornou um evento de destaque em seu calendário cultural.

Continue depois da publicidade

Os filmes que competem pelo Ariel Awards abrangem uma ampla gama de gêneros, estilos e temas, representando a diversidade do cinema mexicano. Nesse caso, a seleção dos vencedores é feita por meio de votação dos membros da AMACC, que são profissionais ativos na indústria.

Sem dúvidas, o prêmio desempenha um papel importante na promoção da cultura mexicana por meio da sétima arte, tornando-se um veículo para projetar o talento e a criatividade do país para o público nacional e internacional. Além disso, incentiva a produção de filmes de alta qualidade e o desenvolvimento contínuo da indústria cinematográfica

Quando o Ariel Awards foi criado?

O Prêmio Ariel foi criado no ano de 1946. No entanto, a primeira premiação do evento foi realizada somente em 1947.

Quem criou o Ariel Awards?

O prêmio é dado pela própria Academia Mexicana de Artes e Ciências Cinematográficas. E sua criação se deu através das ações do então presidente da academia na época, Miguel Zacarías.

Continue depois da publicidade

Um pouco da história da premiação

Para entender mais profundamente a relevância do Ariel Awards, é importante conhecer um pouco da história da premiação. Acompanhe!

Anos iniciais

O início do Ariel Awards está intimamente ligado à própria criação da Academia Mexicana de Artes e Ciências Cinematográficas. Isso porque a organização honorária foi criada também no ano de 1946, na Cidade do México. Sua meta, vale lembrar, era promover a pesquisa, divulgação, preservação e o desenvolvimento das artes e das ciências cinematográficas, objetivo esse que permanece até hoje.

No período, o país passava por seu auge cinematográfico. Para se ter uma ideia, somente no ano de 1945 foram produzidos 85 filmes, que ainda se mantém como número recorde até então.

Assim, dentre as ações organizadas pela academia, destaca-se justamente a criação do Ariel Awards, que passou a ser entregue já no ano seguinte.

Continue depois da publicidade

A suspensão e a retomada da entrega do prêmio

Desde 1947, o Prêmio Ariel foi entregue de forma ininterrupta até o ano de 1958. No entanto, a partir de 1959 o evento acabou sendo cancelado por motivos econômicos e políticos.. No período, a própria indústria cinematográfica mexicana passou por uma grave crise.

A retomada de sua entrega ocorreu somente em 1972, já durante uma fase de recuperação do setor. Assim, desde essa época o Ariel Awards foi premiado consecutivamente até os anos atuais.

O porquê do nome do prêmio

O Prêmio Ariel é representado através de uma estatueta de um homem, sendo este desenhado por Ignacio Asúnsolo (1890-1965). Asúnsolo foi um importante escultor mexicano, e o grande responsável por criar a representação do prêmio. Um ponto interessante, aliás, é que o modelo original do projeto permanece preservado, sendo exibido nos Estudios Churubusco, Cidade do México.

Quanto a escolha do nome, Ariel remete a um gênio do ar que foi liberto da escravidão por Próspero, na peça teatral “A Tempestade”, de  William Shakespeare (1564-1616).

Continue depois da publicidade

No entanto, não foi o trabalho de Shakespeare em si que inspirou o nome, mas sim as obras do autor José Enrique Rodó (1872-1917). Rodó era uruguaio e foi uma grande fonte de inspiração para os jovens da América Latina no início do século XX. Nesse caso, os textos criados pelo autor baseiam-se na obra shakespeariana, integrando o ensaio intitulado “El Ariel”.

Quais são as principais categorias do Ariel Awards?

Uma característica bem marcante do Ariel Awards é o seu amplo número de categorias, que vão muito além das tradicionais, abordadas na grande maioria dos festivais e premiações do cinema. Veja quais são elas!

Ariel de Ouro

O Ariel de Ouro simboliza a coroação do trabalho de excelência de algum dos membros da indústria cinematográfica mexicana. Nesse caso, trata-se do reconhecimento de tudo o que foi feito pelo representante ao longo de sua carreira. Esse é o maior prêmio entregue a um indivíduo ou a uma instituição pela Academia Mexicana de Artes e Ciências Cinematográficas, sendo conferido desde 1947.

Melhor Filme

Premia o filme de maior destaque dentro do cenário mexicano, no respectivo ano.

Continue depois da publicidade

Melhor Diretor

Premia o diretor de cinema de maior destaque, em um ano determinado, dentro da indústria cinematográfica mexicana.

Melhor Ator

Assim como acontece no Oscar ou no Globo de Ouro, a categoria de atores é devidamente dividida em Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Atriz Coadjuvante. E como é possível subentender, premia os destaques no campo da atuação.

Além disso, há as categorias específicas de Melhor Atuação infantil e Melhor Atuação juvenil, voltado para os atores nas faixas de idade infantil e juvenil, respectivamente.

Demais categorias

Outras premiações que fazem parte do Ariel Awards estão ligadas às categorias de Melhor Filme Ibero-Americano, Roteiro Original, Fotografia, Figurino, Edição, música composta para cinema, Maquiagem, Som, Desenho de Arte, Efeitos Especiais, Estreia, Curta Documental, Documentário, Animação, Curta de ficção, Curta de Animação, Melhor Filme Ibero-Americano, Ambientação, Melhor argumento original, Curta educativo ou científico, Cenário, Roteiro Adaptado, Roteiro de cinema, Melhor música de fundo e Melhor média-metragem de ficção.

Continue depois da publicidade

Filmes que mais venceram o Ariel Awards

Com um grande número de categorias, é comum que um mesmo filme acabe levando bem mais que uma estatueta para casa. E nesses mais de 76 anos de realização, diversas obras já conseguiram esse feito.

Neste tópico em específico, vamos conferir alguns dos filmes que mais levantaram estatuetas em uma mesma edição do Ariel Awards. Acompanhe!

Temporada de Patos (2004)

“Temporada de Patos” é uma comédia mexicana escrita e dirigida por Fernando Eimbcke em 2004. A história gira em torno de dois adolescentes de 14 anos de idade, Moko e Flama, que planejam passar o dia sozinhos em casa. Empolgados, eles prepararam o apartamento com comida e videogames para desfrutarem do tempo juntos, mas um imprevisto acontece: a energia elétrica acaba.

Enquanto tentam lidar com a frustração da falta de eletricidade, uma vizinha inesperada e um entregador de pizza também aparecem no local. O que parecia ser um dia tranquilo e entediante se transforma em uma série de situações cômicas e inusitadas, à medida que os quatro personagens interagem e compartilham experiências.

Continue depois da publicidade

Através de diálogos simples e momentos cotidianos, o filme aborda temas como amizade, tédio, descobertas da adolescência e as relações humanas de forma sensível e bem-humorada.

Ao todo, “Temporada de Patos” levantou 11 estatuetas do Ariel Awards, incluindo os de categorias como o de Melhor Filme e Melhor Ator e Atriz principal, tornando-se uma obra memorável do cinema mexicano.

De la calle (2001)

Também com 11 estatuetas está o filme De la calle, um drama mexicano dirigido por Gerardo Tort, lançado em 2001. A história gira em torno de Rufino, um jovem de 15 anos de idade que vive nas ruas da Cidade do México. O jovem ganha a vida realizando pequenos trabalhos e se envolvendo no obscuro negócio de venda de drogas de La Seño e El Ochoa, um policial inescrupuloso que domina o bairro onde Rufino vive.

Em uma reviravolta do destino, Rufino rouba dinheiro de Ochoa, o que acaba desencadeando uma perigosa perseguição pelo policial. Assim, enquanto planeja fugir da cidade junto a um amigo, Xóchitl, o jovem descobre que seu pai, que ele acreditava estar morto, ainda está vivo. Determinado a encontrá-lo antes de ir embora, Rufino embarca em uma jornada cheia de desafios.

Continue depois da publicidade

Amores Brutos (2000)

“Amores Brutos” é um filme mexicano lançado no ano de 2000, dirigido por Alejandro González Iñárritu. A história se desenrola na agitada Cidade do México, onde um terrível acidente de carro acontece, mudando para sempre as vidas de três pessoas envolvidas.

O filme nos apresenta a Octavio, um adolescente que decide fugir com Susana, que era mulher do seu próprio. Para isso, usa seu cachorro Cofi para participar de corridas de cães e ganhar dinheiro necessário à fuga. Nesse mesmo período, somos apresentados a Daniel, um homem de meia-idade, que abandona sua família para viver com Valeria, a modelo por quem se apaixonou perdidamente.

Enquanto a história desses personagens se desenrola, também conhecemos Chivo, um ex-guerrilheiro que se tornou um matador de aluguel após anos de prisão. Em meio ao caos do acidente, Chivo encontra Cofi e enxerga uma possibilidade de redenção.

O filme retrata as histórias dessas três pessoas em um enredo complexo, interligando suas vidas por meio do acidente e mostrando como suas escolhas têm consequências profundas e imprevisíveis.

Continue depois da publicidade

“Amores Brutos” é um retrato intenso e emocionante das relações humanas, amor, redenção e suas conexões imprevisíveis em uma cidade repleta de contrastes e emoções. Por isso, também levantou 11 estatuetas do Ariel Awards.

El rebozo de Soledad (1952)

“El rebozo de Soledad” é um filme mexicano dirigido por Roberto Gavaldón, lançado em 1952. O enredo acompanha a história de Dr. Alberto Robles, um médico desiludido que caminha pelas ruas da Cidade do México, sentindo-se um fracassado por não ter conseguido realizar seus sonhos.

Na obra, conhecemos o começo de sua história, em cidade natal, Santa Cruz, onde Robles conhece uma mulher chamada Soledad, cuja presença e história misteriosa cativam e intrigam o doutor.

Ao longo do filme, o espectador irá descobrir os segredos e as dores do passado do doutor, enquanto ele e Soledad estabelecem um vínculo especial e profundo.

Continue depois da publicidade

Ao todo, “El rebozo de Soledad” conseguiu levar o Ariel Awards em 11 categorias, incluindo o de Melhor Filme, Roteiro Adaptado, Fotografia, Atores, etc.

Os Esquecidos (1950)

Finalizando o top 1 de maiores vencedores do Ariel Awards, todos com 11 estatuetas, temos “Os Esquecidos”. O filme é um drama mexicano dirigido por Luis Buñuel e lançado em 1950.

Nesse caso, ele se passa nos subúrbios da Cidade do México, onde atuam um pequeno grupo de jovens delinquentes, que vivem a cometer roubos. Na liderança está Jaibo, que era o mais velho e experiente entre eles.

Certo dia, em um ato de violência descontrolada, Jaibo acaba espancando Julian até a morte, acreditando que ele o havia delatado. Pedro, que também faz parte do grupo, carrega um sentimento de culpa e responsabilidade pelo acontecido.

Continue depois da publicidade

Pedro, carente de afeto materno, vive uma relação distante com sua mãe, que não lhe dá a atenção de que ele precisa. Enquanto isso, Jaibo tenta seduzir a mãe do jovem, mas encontra resistência. Dessa forma, o confronto entre ambos torna-se praticamente inevitável.

O filme aborda temas como violência juvenil, marginalização social, culpa e busca por afeto. Desse modo, é um retrato intenso e perturbador da realidade das classes mais baixas do México na época, com uma narrativa impactante que mostra as consequências da violência e da falta de amor e cuidado.

Não Estou Mais Aqui (2019)

Abrindo o top 2 de maiores vencedores do Ariel Awards, com 10 prêmios ao todo, temos “Não Estou Mais Aqui”, lançado em 2019. Esse é um  mexicano/norte-americano dirigido por Fernando Frías de la Parra.

A história acompanha Ulises, um jovem líder de um grupo apaixonado pela música cúmbia, um estilo musical popular na região. No entanto, devido a um mal-entendido com uma gangue local, Ulises precisa fugir do país para salvar sua vida.

Continue depois da publicidade

A trama aborda temas como violência, migração, identidade cultural e pertencimento. Assim, é um retrato sensível e autêntico da juventude marginalizada do México, mostrando como a música e a cultura podem ser uma forma de escapar das adversidades da vida.

Roma (2018)

Como um dos grandes destaques dessa seleção, temos o filme Roma, dirigido por Alfonso Cuarón e lançado no ano de 2018. A história se passa na Cidade do México, em 1970, e gira em torno da rotina de uma família de classe média, cujas vidas são silenciosamente controladas por uma mulher chamada Cleo. Nesse caso, ela trabalha como babá e empregada doméstica na casa da família.

Ao longo de um ano, diversos acontecimentos inesperados começam a afetar a vida e rotina de todos os que vivem na casa, desencadeando uma série de mudanças, tanto coletivas quanto pessoais. A narrativa aborda temas como relações familiares, classe social, amor, sacrifício e resiliência.

O filme é aclamado pela crítica e recebeu vários prêmios, incluindo o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e o de Melhor Direção para Alfonso Cuarón. No caso do Ariel Awards, também existem 10 categorias conquistadas.

Continue depois da publicidade

La Ley de Herodes (1999)

Fechando essa lista de destaques, com 10 estatuetas, temos ainda o filme “La ley de Herodes”, de 1999, dirigido por Luis Estrada. Essa é uma comédia satírica que aborda a corrupção política no México, concentrando-se nos mandatos exercidos pelo Partido Revolucionário Institucional (PRI) no país.

A trama se passa em 1949, na fictícia cidade de San Pedro de los Saguaros, onde os habitantes decapitam o presidente municipal devido aos seus abusos de poder.

O assassinato do prefeito desencadeia um escândalo político que ameaça manchar a carreira do governador, Sánchez, revelando as artimanhas, os subornos e as tramas por trás da política local.

O filme satiriza os sistemas de governo autoritários e a corrupção desenfreada, expondo a podridão moral dos políticos e a alienação do poder. “La ley de Herodes” é conhecido por seu humor ácido e crítico, oferecendo uma reflexão sobre a história política do México e suas repercussões sociais.

Atores e atrizes que mais venceram o Ariel Awards

Outras categorias de destaque do Prêmio Ariel estão dentro do campo da atuação. Por isso, além de conferir os filmes que mais levantaram estatuetas em uma única edição, vamos conferir agora os atores e atrizes que mais vezes foram agraciados com o prêmio, desde 1946.

Top 10 atores

  • 1º lugar – Damián Alcázar, com 8 estatuetas
  • 2º lugar – Ernesto Gómez Cruz, com 6 estatuetas
  • 3º lugar – Daniel Giménez Cacho, com 5 estatuetas
  • 4º lugar – Alejandro Parodi, com 5 estatuetas
  • 5º lugar – José Carlos Ruiz, com 5 estatuetas
  • 6º lugar – Arturo de Córdova, com 3 estatuetas
  • 7º lugar – Luis Felipe Tovar, com 3 estatuetas
  • 8º lugar – Carlos López Moctezuma, com 3 estatuetas
  • 9º lugar – Jaime Fernández, com 3 estatuetas
  • 10º lugar – Mario Zaragoza, com 3 estatuetas

Top 10 atrizes

  • 1º lugar – Patricia Reyes Spíndola, com 4 estatuetas
  • 2º lugar – Blanca Guerra, com 4 estatuetas
  • 3º lugar – Isela Vega, com 4 estatuetas
  • 4º lugar – Mónica del Carmen, com 3 estatuetas
  • 5º lugar – Angélica Aragón, com 3 estatuetas
  • 6º lugar – Ana Ofelia Murguía, com 3 estatuetas
  • 7º lugar – Gina Morett, com 3 estatuetas
  • 8º lugar – Katy Jurado, com 3 estatuetas
  • 9º lugar – María Rojo, com 3 estatuetas
  • 10º lugar – Dolores del Rio, com 3 estatuetas

Considerações finais

Como foi possível observar ao longo do artigo, o Ariel Awards faz jus ao reconhecimento que possui, e já conseguiu trazer grandes contribuições a indústria cinematográfica mexicana, ao promover, reconhecer e incentivar as produções nacionais de qualidade.

Carioca, estudante de Direito, servidora pública e apaixonada por vídeo games, tecnologia e cultura pop em geral. Tenho como hobbies consumir e produzir conteúdos relacionados a esses temas que me interessam, e adoro passar horas adquirindo conhecimento sobre os assuntos que mais gosto, tanto que mantenho um canal no Youtube sobre games há 4 anos. Meu contato com inglês vem de longa data, quando notei que para ter acesso a todo um universo de informações, dominar a língua era fundamental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui