The Last of Us tornou-se um grande sucesso entre os jogadores do PlayStation e um dos games mais vendidos da história, obtendo uma recepção excelente por parte da crítica especializada.

Em 2013 o primeiro jogo foi lançado para PlayStation 3, e em 2014 a Sony disponibilizou uma versão remasterizada para PlayStation 4, sendo que sua sequência chamada The Last of Us- Part II, seria lançada em junho de 2020.

The Last of Us é considerado um dos maiores títulos da marca PlayStation e juntamente à God of War, ganhou o status de carro-chefe do console, batendo a marca aproximada de 21 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

O game foi projetado por Jacob Minkoff e dirigido por Bruce Straley e Neil Druckmann, com roteiro escrito pelo próprio Druckmann e trilha sonora composta por Gustavo Santaolalla.

O jogo começou a ser desenvolvido em 2009 pela Naughty Dog, logo depois da finalização de “Uncharted 2: Among Thieves”, sendo publicado pela Sony Computer Entertainment.

Devido a todo esse sucesso, em março de 2020 a desenvolvedora anunciou oficialmente que The Last of Us seria adaptado para virar uma série com o selo HBO. Veja o primeiro teaser abaixo:

Estamos muito empolgados com a parceria com @HBO para criar uma nova série The Last of Us com @Neil_Druckmann e @clmazin no comando

The Last of Us foi aclamado pela crítica por sua fascinante história pós-apocalíptica, e sua trama centrada no relacionamento entre Joel e Ellie. Este com certeza é o destaque do jogo que coleciona uma legião de fãs por todo o mundo.

Uma curiosidade é que os desenvolvedores se inspiraram em filmes como, “Onde os Fracos Não Têm Vez de 2007, “Bravura Indômita” de 1969 e “Estrada para Perdição” de 2002 na criação da narrativa do jogo.

A equipe criativa escolheu os atores Troy Baker e Ashley Johnson a fim de interpretarem os personagens principais, que realizaram a captura de movimentos e dublagem para seus respectivos papéis.

A história de The Last of Us

No ano de 2013 houve o surto de uma infecção causada pelo fungo Cordyceps que foi responsável por transformar hospedeiros humanos em monstros desprovidos de quaisquer capacidades racionais.

Esta espécie de fungo normalmente parasita insetos, repondo seus tecidos e passando a controlar seu comportamento.

A história não explica em detalhes como a infecção avançou de insetos para humanos, apenas diz que houve uma mutação e que a proliferação se espalhou rapidamente devido às plantações contaminadas.

The Last of Us
Imagem: The Last of Us/ Reprodução

Em poucos meses, aproximadamente 60% da humanidade havia sido morta ou infectada pelo fungo e no decorrer dos vinte anos seguintes a civilização foi quase que totalmente dizimada.

Os sobreviventes se encontram divididos entre zonas de quarentena, assentamentos ou grupos nômades.

A história do game se passa vinte anos após o início do surto, sendo conduzida por Joel, que tem a missão de escoltar a adolescente Ellie através deste cenário pós-apocalíptico.

Uma infecção completa costuma ocorrer dentro de dois dias, porém a garota afirma ter sido infectada a várias semanas, e que talvez sua imunidade natural possa levar a uma cura.

Antes da contaminação, o protagonista central trabalhava como carpinteiro em uma construção e criava sozinho sua filha Sarah.

No dia do seu aniversário, ele é obrigado a fugir de casa com sua filha e seu irmão Tommy, devido a chegada da infecção em sua cidade.

Porém, durante a fuga um soldado abre fogo contra Joel e Sarah por ordem de seus superiores. Tommy consegue chegar a tempo de salvar Joel, mas Sarah fica seriamente ferida e morre nos braços de Joel.

Não se sabe muito sobre a vida de Joel depois do surto, mas fica claro que ele e Tommy se tornaram Caçadores.

Joel The Last of Us
Imagem: Joel/ The Last of Us

Os dois acabam se separando devido a um desentendimento e Joel decide ir morar na zona de quarentena de Boston, onde conhece Tess e juntamente com ela acaba se tornando um Contrabandista.

Nos eventos do primeiro jogo, ele é encarregado por sua antiga amiga Marlene, líder dos Vaga-Lumes para contrabandear Ellie, uma jovem de 14 anos de idade, até a base rebelde mais próxima.

O que começa como um pequeno trabalho, logo se torna uma jornada brutal e comovente, pois ambos precisam atravessar uma zona opressiva de quarentena, sendo que a garota pode ser a única chave para uma cura.

Os sobreviventes

Para entendermos melhor o enredo é necessário saber que existem diversos grupos de sobreviventes que não vivem sob lei marcial.

A maioria deles estão subjugados ao comando de um líder eleito, enquanto os restantes são indivíduos independentes tentando sobreviver.

Dentre vários grupos, está uma milícia rebelde que luta contra o governo pelo futuro da humanidade, chamada de Vaga-Lumes.

Também existem os Caçadores, uma facção de sobreviventes violentos, que vivem em zonas de quarentena abandonadas.

Existem ainda outros grupos nômades que são extremamente violentos e se mantém atacando e saqueando outras comunidades.

Os Canibais por exemplo, como o nome sugere, se alimentam de outros humanos e vivem no leste do Colorado.

Não podemos nos esquecer de dois grandes grupos religiosos extremistas que vivem em guerra pelo controle de Seattle.

Os Serafitas (ou Cicatrizes), que se trata de um culto primitivista e a Frente de Libertação de Washington (WLF), uma espécie de organização paramilitar.

Vaga-lumes
Imagem: Vaga-lumes/ Repordução

Os infectados

A chamada Infecção Cerebral do Cordyceps ou ICC, começou a se espalhar pelos Estados Unidos em meados de setembro de 2013.

O fungo se desenvolve enquanto o hospedeiro ainda está vivo, passando por quatro estágios de infecção.

O primeiro estágio se dá após dois dias da infecção e o hospedeiro é chamado de Corredor ou Runner.

Ele perde sua função cerebral superior e com ela sua humanidade, se tornando muito agressivo e extremamente rápido.

Dentro de duas semanas, o hospedeiro entra no estágio dois da infecção quando é chamado de Perseguidor ou Stalker.

Sua visão começa a ficar ruim, o que se trata de um dos resultados do crescimento progressivo de fungos na cabeça.

Após um ano de infecção, implanta-se o estágio três, que são os chamados Estaladores ou Clickers.

Nessa fase o crescimento do fungo já tomou completamente o rosto do hospedeiro, destruindo seus globos oculares, mas proporcionando uma grande percepção auditiva.

The Last of Us
Imagem: Estágios da infecção por Cordyceps /The Last of Us

Em casos muito raros, se o hospedeiro sobreviver por mais de uma década, atingirá o estágio quatro, existindo dois tipos diferentes.

Os do primeiro tipo são chamados de Baiacus ou Bloaters, onde o fungo cobre todo o seu corpo criando uma espessa carapaça que ameniza os danos causados por tiros.

Eles são grandes e lentos, porém são os mais fortes e brutais, capazes de derrubar paredes e esmagar suas vítimas, além de lançar bombas de esporos.

Os do segundo tipo, ainda mais raros são os chamados de Trôpegos que tem o corpo completamente deformado e possuem enormes esporos encrustados.

Estas criaturas são capazes de expelir um gás venenoso e altamente corrosivo, causando em poucos segundos a morte de suas vítimas.

Quando o fungo mata o hospedeiro, seus caules liberam esporos capazes de infectar outros humanos, mas vale ressaltar que hospedeiros só podem ser infectados enquanto estiverem vivos, pois o fungo é incapaz de parasitar corpos mortos.

Jogabilidade

The Last of Us é um jogo com perspectiva em terceira pessoa, onde o jogador precisa atravessar por uma série de ambientes destruídos, passando por cidades, florestas, edifícios e esgotos.

O protagonista pode utilizar armas de fogo, armas improvisadas e furtividade para derrotar os humanos hostis e as criaturas infectadas pelo fungo Cordyceps.

The Last of Us
Imagem: Armas de Fogo/ The Last of Us

O jogador controla Joel durante a maior parte do tempo, sendo que Ellie e outros personagens encontrados no decorrer da história são controlados pela inteligência artificial.

Contudo, a garota se torna temporariamente uma personagem jogável, durante um único período da história.

O protagonista pode usar tanto armas de longo alcance, como rifles, espingardas e arcos, quanto de curto alcance, como pistolas, revólveres e espingardas curtas.

Também é possível utilizar armas brancas, como canos ou mesmo tacos de beisebol, sendo que garrafas e tijolos podem ser arremessados para distrair, tontear ou atacar inimigos.

The Last of Us possui um sistema de criação que permite ao jogador, aprimorar armas em mesas de trabalho, usando itens que são coletados no decorrer do jogo.

Equipamentos como kits médicos e coquetéis Molotov podem ser encontrados ou produzidos com os materiais recolhidos.

Habilidades físicas, como o tamanho do medidor de saúde e velocidade de criação, podem também ser melhoradas ao coletar pílulas e plantas medicinais.

O medidor de saúde pode ser recarregado por meio de kits médicos, no caso do personagem ser ferido.

Apesar de existir a opção de atacar os inimigos em um confronto direto, também é possível empregar táticas furtivas para atacar, ou mesmo passar pelos ambientes sem ser notado.

O combate furtivo utiliza uma mecânica chamada “Modo de Escuta”, onde a silhueta dos inimigos torna-se visível, permitindo que o jogador veja adversários previamente.

Modo de Escuta
Imagem: Modo de Escuta/ The Last of Us

O game contém um sistema de inteligência artificial, onde inimigos humanos hostis reagem a qualquer situação de combate em que são colocados.

Se um oponente descobre o jogador, pode chamar por ajuda ou tirar vantagem em momentos de distração, ou mesmo no meio de uma luta.

O modo multijogador online permite que até oito usuários participem das partidas, que podem ser competitivas ou cooperativas.

Existem três estilos no modo multijogador, sendo eles, Ataque de Suprimentos, Sobrevivência e Interrogação.

Os conceitos utilizados em The Last of Us

O conceito de The Last of Us, foi em parte, inspirado por um segmento de um documentário da BBC chamado Planet Earth, onde os fungos do tipo Cordyceps são apresentados.

Na vida real, essa variedade afeta principalmente os insetos, assumindo o controle de suas funções motoras e forçando-os a cultivar o fungo.

Contudo, o jogo explora a possibilidade do Cordyceps evoluir, passando a infectar seres humanos, além dos resultados diretos de um surto em níveis catastróficos.

The Last of Us não explica exatamente a causa desse ocorrido, pois o foco da equipe de desenvolvimento sempre foram os personagens, e não a doença em si.

O diretor Bruce Straley afirma que o conceito dos infectados foi utilizado no enredo, com o intuito de obrigar os jogadores a explorarem os limites da perseverança humana.

Os desenvolvedores fizeram grandes pesquisas sobre o cenário, para criar um universo onde é necessário tomar decisões difíceis e usar efetivamente os suprimentos limitados.

Neil Druckmann inspirou-se em eventos históricos reais, como a epidemia da gripe espanhola de 1918, ilustrando a profundidade da paranoia que a humanidade pode atingir sob a eminente ameaça de extinção.

Os temas principais da história se dividem entre amor, lealdade e redenção, mas a violência é algo que também se encaixa na narrativa, trazendo a perspectiva de que é necessário ter a escuridão para encontrar a luz.

The Last of Us
Imagem: Ellie, Joel e Girafa/ The Last of Us

Outra grande mensagem presente no decorrer do jogo, é a de que “a vida continua”, como na cena em que Joel e Ellie descobrem um grupo de girafas por exemplo.

O artista conceitual John Sweeney já disse que essa passagem específica foi inserida para “reascender o desejo de viver em Ellie”, instigando sua curiosidade, e esquecendo por um momento todo o cenário de horror e morte que está ao seu redor.

E aí gamer, o que achou da análise sobre este incrível jogo desenvolvido pela Naughty Dog. Deixe sua opinião sobre The Last of Us pra gente nos comentários para ajudar nossa equipe a continuar crescendo e melhorando a cada dia.

Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários