The Conjuring ou Invocação do Mal é sem dúvida um dos maiores fenômenos do terror nos últimos tempos e ainda um dos responsáveis por trazer de volta a popularidade do cinema de horror que havia sido deixado de lado por alguns anos.

O primeiro longa foi lançado em 2013 e faturou um total de US$ 319,5 milhões se tornando um sucesso de bilheteria ao redor do mundo. O segundo filme de 2019 não ficou para trás e arrecadou mais de US$ 320 milhões, consagrando a franquia como uma das mais lucrativas do gênero.

Os enredos tem como base as histórias relatadas por  Edward “Ed” Warren MineyLorraine Rita Warren, considerados o casal de investigadores de fenômenos paranormais mais famoso do mundo.

O Casal Warren

Ed Warren (1926 – 2006) foi um especialista em demonologia e Lorraine (1927 – 2019) uma médium clarividente. Os dois juntos são responsáveis por vários livros e artigos sobre o assunto e também sobre suas investigações paranormais.

Eles também fundaram na década de 1950 o New England Center for Psychic Research (Centro de Pesquisa Psíquica da Nova Inglaterra), que inicialmente tinha como objetivo simplesmente investigar assombrações, mas acabou se tornando o mais tradicional grupo de investigação paranormal da Inglaterra.

Ed e Lorraine Warren
Imagem: Ed e Lorraine Warren/ Arquivo Pessoal

Ed e Lorraine construiram no porão de sua casa em Monroe no estado de Connecticut o Warrens Occult Museum, onde guardaram os souvenirs encontrados nos lugares em que os casos sobrenaturais ocorriam.

Os dois alegavam ter investigado mais de 10.000 casos durante toda sua carreira, sem contar o fato de estarem entre os primeiros investigadores paranormais envolvidos no polêmico The Amityville Horror.

Os Warren também foram responsáveis pelo treinamento de vários outros demonólogos através dos cursos e palestras que ministravam, incluindo Dave Considine (Mystery Quest do History Channel) e seu sobrinho John Zaffis.

Horror em Amityville

Certamente o caso de 13 de novembro de 1974 ocorrido em Amityville no estado de Nova York, é um dos mais famosos episódios de horror ocorridos na vida real. O episódio talvez seja o mais popular envolvendo o casal Warren.

Na ocasião, toda a família DeFeo foi assassinada enquanto dormia. Ronald, Louise e quatro filhos do casal, Dawn, Allison, Marc e John foram baleados pelo filho mais velho, Ronald Jr. de 23 anos.

Em 1975, os Lutz (George, Kathy e seus três filhos) compraram a propriedade onde os assassinatos ocorreram alegando não se importarem com o ocorrido, porém após 28 dias a família fugiu do lugar deixando todas as suas coisas para trás.

Daniel (um dos filhos) teve uma das mãos esmagadas em uma janela e a filha Missy relatava ter uma amiga imaginária chamada Jodie, que assumia formas de anjo e de porco.

Em suas investigações, os Warren tiraram a famosa foto que mostrava o espírito de um garotinho que muitos afirmam ser John DeFeo, o filho mais novo (na época dos assassinatos com 9 anos) de Ronald e Louise.

Veja abaixo a foto tirada pelo casal Warren:

Caso Amityville
Caso Amityville/ Foto tirada pelos Warren

Veja mais sobre as novas produções da Warner Bros em:

Apesar de muitos acreditarem que Ronald DeFeo Jr. estaria possuído na noite dos crimes, alguns afirmam que tudo não passa de uma grande farsa. O fato é que os filmes inspirados no caso e as entrevistas cedidas pela família ajudaram tornar a história muito lucrativa.

A triste verdade por traz dos horrores paranormais é que os filhos do casal DeFeo sofriam com os abusos constantes por parte dos pais. Como era o mais velho, Ronald acabou sendo mais impactado pelos efeitos dessa violência do que os outros irmãos.

Caso Anabelle

Donna era uma estudante que dividia um apartamento com sua amiga Angie na década de 1970. Em um de seus aniversários ela ganhou de sua mãe uma boneca da marca Raggedy Ann.

Porém as duas notaram que o brinquedo mudava de posições e aparecia em cômodos diferentes da casa. Além disso um fato que assustou muito as garotas, foi o aparecimento de mensagens escritas a lápis em papeis estranhos e também as mãos da boneca que certa vez apareceram cheias de sangue.

Donna então, decidiu chamar uma médium e descobriu que a boneca havia sido possuída pelo espírito de uma antiga moradora que havia sido encontrada morta naquele apartamento, uma menina de sete anos chamada Annabelle Higgins.

Invocação do Mal
Anabelle/ Arquivo pessoal dos Warren

Por compaixão elas deixaram a menina ficar, porém as coisas ficavam cada vez mais sombrias. Um amigo das duas jovens, relatou que Annabelle tentou matá-lo sufocado certa vez quando ele dormiu no apartamento.

Como se não bastasse, um dia o rapaz sentiu uma forte dor em seu peito e viu sua camisa manchada de sangue, ao tirar a camisa reparou que haviam três marcas na vertical e quatro na horizontal. As feridas demorariam cerca de dois dias para que se fechassem.

Donna decidiu entrar em contato com um padre que imediatamente chamou os Warren para investigar o caso. Depois de algumas sessões descobriu-se que a boneca não era possuída, mas sim manipulada por uma entidade que usava essa tática para se aproximar das pessoas.

Os Warren acharam necessário que se fosse recitada uma Bênção Episcopal para limpar as energias do apartamento das meninas.

“A bênção episcopal da casa é demorada, um documento de sete páginas que é claramente de natureza positiva. Em vez de expulsar especificamente entidades malignas da habitação, a ênfase é voltada para encher a casa com poderes positivos e de Deus.”

A boneca Anabelle foi levada pelo casal para o Warrens Occult Museum onde se encontra até os dias de hoje.

Família Perron

Roger e Carolyn Perron compraram uma uma fazenda situada em Harrisville no estado de Rhode Island em janeiro de 1971, onde pretendiam criar suas cinco filhas. A casa ficava em um terreno muito bonito e já havia abrigado outras oito gerações de famílias.

Apesar das aparências o local já havia sido palco de dois enforcamentos, um envenenamento, dois afogamentos além de outras histórias macabras. As meninas relatavam ver espíritos ao redor da casa, assim como vassouras se mexendo sozinhas e pilhas de poeira que se formavam no centro da cozinha.

Enquanto alguns espíritos brincavam e chegavam a dar beijo de boa noite nas crianças, havia aqueles que se mostravam agitados e agressivos. Havia uma presença tão ruim que os Perron até hoje não comentaram sobre o que ele fez com a família.

“Vamos apenas dizer que havia um espírito masculino muito ruim na casa, com cinco garotinhas”

No entanto o pior dos espíritos da casa era o fantasma de Bathsheba Sherman, uma mulher que vivia na fazenda fazenda vizinha à casa, no fim do século 19. De acordo com relatos, ela teria sido acusada de bruxaria depois da morte misteriosa de um bebê que estava sob seus cuidados.

Bathsheba 1885
Imagem: Bathsheba 1885/ Arquivo pessoal do casal Warren

Conta-se  que antes de morrer, Bathsheba teria amaldiçoado as terras e os moradores do lugar. Após o seu falecimento, foram registradas várias mortes misteriosas que nunca foram explicadas.

A filha mais velha, Andrea Perron faz a seguinte declaração em um de seus livros:

“Ela se considerava dona da casa e se ressentia da competição que minha mãe fazia para essa posição”

A suspeita de que Carolyn tivesse sido possuída pelo espírito maligno atormentou a família que solicitou a ajuda de Ed e Lorraine Warren. Por vários anos os investigadores paranormais tentaram ajuda-los, mas os ataques só ficavam mais intensos.

Andrea Perron descreve em seu livro o horror que viveu na noite em que o casal Warren decidiu fazer o exorcismo de sua mãe:

A noite em que pensei que veria minha mãe morrer foi a noite mais terrível de todas. Ela falou com uma voz que nunca tínhamos ouvido antes e uma força que não é deste mundo a jogou a seis metros de distância em outra sala”

Apesar da ajuda de Ed e Lorraine Warren, a situação na residência continuou se agravando e Roger decidiu que os investigadores teriam que ir embora. Os Perron ainda ficaram por anos na casa até conseguirem se mudar em 1980, quando foram morar no estado da Geórgia.

O caso de Harrisville envolvendo a família Perron serviu como inspiração para o primeiro filme da franquia Invocação do Mal (The Conjuring) e foi lançado em 2013. Além disso, Andrea Perron (a filha mais velha) escreveu três livros descrevendo suas experiências sobrenaturais e hoje viaja dando cursos e palestras.

Ed e Lorraine poderiam ser uma fraude?

Ed e Lorraine Warren chegaram a conclusão de que a Casa Hallanan (uma antiga funerária) localizada em em Connecticut, estaria sendo assombrada por demônios. O caso foi apresentado no livro In a Dark Place: The Story of a True Haunting de 1992.

A família Snedeker formada por Allen, Carmen, seus quatro filhos e duas sobrinhas, adquiriu o imóvel em 1986. Não demorou para eles começarem a presenciar fatos estranhos como água virando sangue e odores pútridos, além de vários ataques físicos.

Um longa sobre o caso que mais tarde seria parte da série do Discovery Channel chamado A Haunting foi produzido em 2002 e lançado em 2009. Ray Garton que escreveu sobre a assombração da família Snedeker, quando questionado sobre a veracidade dos eventos descritos em seu livro, declarou o seguinte:

“A família envolvida, que estava passando por alguns problemas sérios como o alcoolismo e dependência de drogas, não poderia manter sua história em linha reta, e eu fiquei muito frustrado, é difícil escrever um livro de não-ficção quando todas as pessoas envolvidas estão dizendo histórias diferentes “

Garton ainda relata que ao entrevistar a família percebeu que as histórias não eram convincentes e que foi instruído por Ed Warren a inventar o que faltava para conseguir fazer tudo se encaixar.

O autor viria a público mais tarde para novamente detonar os Warren. Segundo ele, além de uma fraude os dois eram maus, pois se aproveitavam do problemas pelos quais as famílias passavam (doenças mentais, abusos e alcoolismo) para vender suas histórias de demônios.

Lorraine e Ed Warren
Imagem: Lorraine e Ed Warren/ Wikimedia Commons

Outro investigador paranormal chamado Joe Nickell, também investigou o caso e chegou a conclusão de que a história foi planejada para ser atrativa para a mídia que ansiava por esse tipo de notícia na época.

O mais estranho nisso tudo é que os Snedeker, mesmo sofrendo com os “ataques espirituais”, ficaram na casa por mais de dois anos e Carmen mais tarde, veio a público dizer que lançaria um livro chamado Demons In The Dark, contando detalhes sobre os acontecimentos.

O sucesso de Invocação do Mal no cinema

A grande verdade é que mesmo as histórias envolvendo os Warren sendo falsas ou verdadeiras, o cinema soube aproveitar muito bem os casos investigados pelo casal.

Os dois filmes da franquia somam um total de U$ 640 milhões nas bilheterias, sem contar com os spin-offs Anabelle, A freira e A Maldição da Chorona que se passam na mesma realidade compartilhada.

Seja pelas atuações de Vera Farmiga e Patrick Wilson ou seja pela brilhante direção de James Wan, os filmes acabaram se tornando um grande sucesso entre os amantes do terror ao redor do mundo.

Não podemos deixar de exaltar também o trabalho das crianças envolvidas, como Joey King (Barraca do Beijo- 2018) no primeiro filme e Madison Wolfe (Caçadora de Gigantes- 2017) do segundo longa.

Invocação do Mal 2
Invocação do Mal 2/ Foto do set

Os dois longas receberam análises muito positivas da crítica especializada em cinema. Invocação do Mal recebeu uma classificação de 86% do agregador de resenhas Rotten Tomatoes baseado em 218 comentários.

O consenso do site fez a seguinte declaração sobre o filme:

“Bem trabalhado e alegremente assustador, Invocação do Mal invoca o medo através de uma história antiga eficaz”. 

O sucesso dos dois primeiros filmes garantiram a continuação da franquia em Invocação do Mal 3: A ordem do demônio.

Ed e Lorraine Warren começarão a trama investigando o caso do pequeno David Glatzel. O caso se trata da primeira defesa em um tribunal, feita com base na alegação de possessão demoníaca da história dos Estados Unidos da América.

Arne Cheyenne Johnson foi condenado pelo assassinato de Alan Bono. De acordo com testemunhos, David Glatzel de 11 anos teria sido o anfitrião do demônio que forçaria Johnson a cometer o crime.

O longa contará a história do julgamento que ficou conhecido como Devil Made Me Do It ou O Diabo me fez fazer. De acordo com o roteirista Johson McGoldrick, o novo filme vai ampliar os horizontes das ameaças do casal investigador.

Johson McGoldrick declarou o seguinte sobre Invocação do Mal 3: A ordem do demônio:

“Invocação do Mal 3 é um filme completamente diferente dos dois primeiros. A franquia está expandindo além da fórmula ‘casa mal-assombrada’”.

Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio estava previsto para estrear em setembro deste ano, mas por causa das restrições causadas pela pandemia do Covid-19 a Warner Bros adiou a estreia do longa para 4 de junho de 2021.

Veja abaixo o trailer de Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio:

Fique por dentro de tudo sobre as novas produções da Warner Bros em nossa página Proddigital POP e também siga nossas redes sociais InstagramTwitterFacebook para não perder nenhuma novidade no universo da cultura POP!!!

Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários