Sonic the Hedgehog ou Sonic, o Ouriço, é um dos personagens mais amados de todos os tempos, e uma das figuras mais marcantes da cultura POP, e ainda mais quando entramos no universo dos games.

Nosso herói foi criado para ser o principal representante da marca Sega, que no início da década de 1990, disputava o mercado de jogos eletrônicos com a gigante Nintendo.

Na época, a chegada da tecnologia 16 Bits causou uma verdadeira revolução nos games e as duas desenvolvedoras estavam “surfando essa onda”. A briga pela liderança era intensa, sendo que a Nintendo já tinha seu mascote perfeito, o encanador bigodudo Super Mario.

Sonic x Super Mario
Imagem: Sonic x Super Mario/ Reprodução

A trajetória do personagem é extremamente interligada à da marca Sega e do console Mega Drive, além de ser responsável por influenciar todo um estilo de jogos criados na época, que fazem sucesso até os dias de hoje.

Sua criação é atribuída à Naoto Oshima que idealizou o visual do personagem e Yuji Naka, responsável pela jogabilidade veloz, que quebrava o padrão de jogos moldados por blocos, como Mario, para implantar um estilo com curvas e loopings que fluía mais naturalmente.

Quando os dois apresentaram o projeto para a Sega, ele foi escolhido para se tornar o game lançado para o Mega Drive com o nome Sonic the Hedgehog, em 1991, que viria a se tornar o carro chefe da marca.

O personagem é basicamente um ouriço azul, embora descrito pela Tec Toy (a representante da Sega no Brasil), como um porco espinho.

Ele possui a capacidade de correr em velocidade supersônica, também podendo se enrolar como uma bola giratória para atacar e derrubar seus oponentes.

Na verdade, o Sonic é um dos maiores velocistas da ficção, e seu objetivo principal é salvar outros animais das garras do vilão Dr. Eggman, também conhecido como Robotnik nas adaptações ocidentais, que os transforma em robôs para serem escravizados.

Extremamente aventureiro e corajoso, o simpático ouriço luta sempre pela justiça, liberdade e também pelos indefesos, enfrentando todos os perigos para ajudar as pessoas sem nunca fugir de um bom desafio.

Sonic não é nem um pouco modesto com suas habilidades, sendo muitas vezes marrento e convencido. Apesar de ter raciocínio rápido, ele tem o pavio curto e a tendência de tomar decisões precipitadas, como qualquer bom protagonista.

Sonic
Imagem: Sonic/ Reprodução

O personagem foi criado para substituir Alex Kidd, que ocupava o posto de mascote da Sega na época e sua criação é atribuída ao programador Yuji Naka e ao artista Naoto Ohshima.

Alex Kidd era visto como um personagem muito infantilizado que atrapalharia as campanhas de marketing, sendo substituído em 1991. A Sega desejava trazer seus jogos para o Mega Drive, que na época era visto como um console para o público adolescente e juvenil.

Sonic é considerado um dos maiores personagens dos games, juntamente ao seu rival Super Mario da Nintendo. Os dois personagens com certeza marcaram toda a geração de jogadores na década de 90 e continuam impactando a indústria de games até hoje.

As habilidades do herói

O grande poder do ouriço da sega é a hipervelocidade, que pode alcançar níveis inimagináveis e facilmente ultrapassar a barreira do som.

Isso, somado à habilidade de girar como uma bola, se transforma em um poderoso ataque conhecido como “Spin Attack”, em que ele pode destruir tudo que estiver em seu caminho.

Ele também pode usar o “Spin Dash”, em que gira parado adquirindo impulsão antes de sair, ganhando dessa forma, ainda mais velocidade e poder de destruição.

Quando ele consegue reunir as sete Esmeraldas do Caos, pode se transformar em Super Sonic, que se trata de uma versão muito mais veloz e invulnerável, capaz até mesmo de voar.

Sonic The Hedgehog 2
Imagem: Super Sonic/ Sonic The Hedgehog 2

A versão Super do herói, tem o corpo dourado e os olhos vermelhos que um de seus criadores Naoto Ohshima já admitiu ser uma homenagem direta aos famosos Sayajins da série animada Dragon Ball Z.

Sua principal fraqueza é não saber nadar muito bem, podendo afundar e se afogar com facilidade. Yuji Naka criou este conceito por incorretamente acreditar que os ouriços eram incapazes de nadar.

Os conceitos utilizados na criação do personagem

Quando a Sega decidiu mudar seu mascote, que seria o competidor direto para o Super Mario da Nintendo, vários conceitos foram propostos pela equipe de criação em uma espécie de concurso.

Os novos designs incluíam um tatu, um homem em forma de ovo vestindo pijama, que lembrava o ex-presidente americano Theodore Roosevelt (que seria utilizado para o Dr. Robotinik), além de um coelho que esticaria suas orelhas para capturar os objetos, um conceito que já era utilizado no jogo Ristar.

O desenvolvedor do jogo Naoto Oshima, levou os desenhos para Nova York e fez uma pesquisa de opinião com as pessoas que caminhavam pelo Central Park, onde o ouriço foi o que mais chamou atenção dos participantes.

O design foi pensado para que pudesse ser facilmente desenhado por crianças e ao mesmo tempo demonstrasse uma certa atitude “cool” ou “legal”. Ohshima já declarou achar que as pessoas optaram pelo personagem porque ele transcendia raça e gênero.

Sonic 1
Imagem: Sonic/ Naoto Oshima

A cor azul foi escolhida para combinar com a logomarca da Sega e seus tênis vermelhos e brancos foram inspirados pelas botas de Michael Jackson utilizada por ele na foto de capa do álbum Bad.

A jogabilidade foi aproveitada de uma demo criada por Yuji Naka, com um personagem que se movia velozmente atravessando vários obstáculos ao se transformar em uma bola.

Inspirado no fato que ouriços se encolhem quando ameaçados, muitas de suas habilidades evocam isso com a combinação de girar, como o “Ataque de Giro” (Spin Attack).

A ideia de uma jogabilidade simples que utilizasse apenas um botão e com um personagem em formato de bola, já era algo que a Sega estava procurando e Yuji Naka complementou essa ideia com seu protótipo.

Todo o conceito sobre Sonic ser veloz, vem na verdade da parte de Yuji, que gostava de jogar a primeira fase de Super Mario Bros, o mais rápido possível e criou o jogo inspirado nessa ideia.

Após ser definida a identidade do game, a equipe de criação queria um nome que simbolizasse isso. Suas ideias passavam por nomes que representassem “velocidade da luz”, como LS ou Light Speed em inglês.

O primeiro nome dado ao personagem foi Mr. Needlemouse, no entanto, o nome atual veio de um membro não identificado da equipe, que sugeriu “Sonic”, como em “sônico”, por ele correr na velocidade do som.

Seguindo o design original criado por Ohshima, nos seus primeiros jogos, o ouriço azul da Sega era baixinho, com um corpo redondo e espinhos mais curtos.

Para o jogo de 1998 Sonic Adventure, o ouriço foi redesenhado por Yuji Uekawa, que usou pernas maiores, um corpo mais esbelto, espinhos mais longos e olhos verdes.

Sonic
Imagem: Sonic/ Reprodução

Os desenvolvedores do jogo Sonic the Hedgehog de 2006, disseram que o design parecendo mais adulto visava cativar jogadores mais velhos, além de melhorar a interação com humanos.

Porém, Sonic Generations lançado em 2011 para celebrar o vigésimo aniversário do jogo original, revelaria que o Sonic mais rechonchudo e baixinho, era na verdade uma versão mais jovem do personagem.

O primeiro jogo firmou também o principal antagonista do herói, Ivo Robotnik, também conhecido como Dr. Eggman, o qual era um dos personagens da mesma iniciativa interna que criou o próprio Sonic.

Robotnik é um cientista louco que planeja conquistar o mundo para construir seu próprio Império dominado por máquinas.

O vilão foi pensado para representar o debate crescente entre desenvolvedores e ambientalistas, simbolizando a inversão de valores de um ditador, que enxerga a natureza como uma coisa suja, e estradas e edifícios como limpos.

Ao longo dos anos, a franquia ganhou mais personagens, como o companheiro Tails em Sonic 2, Knuckles no terceiro game, um interesse romântico com Amy Rose em Sonic CD e rivais como Metal Sonic, também de Sonic CD, e Shadow, de Sonic Adventure 2.

Os principais games

O lançamento de Sonic the Hedgehog, juntamente ao marketing agressivo da Sega ajudaram a colocar o Mega Drive em uma posição vantajosa na década de 1990.

Como resultado, a franquia se expandiu com diversos jogos, desde sequências como Sonic the Hedgehog 2, 3 e Sonic & Knuckles, até mesmo com spin-offs como Sonic 3D Blast e Sonic Spinball.

Na época do Sega Saturn, a Sega não chegou a lançar uma nova aventura do personagem, que somente voltaria no Dreamcast em Sonic Adventure 2, lançado em 1999.

Sonic Adventure 2
Imagem: Sonic Adventure 2/ Sega

Contudo, nesta fase a Sega derrapou diversas vezes e quase foi à falência, deixando o mercado de consoles. Desde então a desenvolvedora publica games do Sonic em outras plataformas.

Nossa equipe selecionou os jogos mais importantes que marcaram gerações e trouxeram diversos elementos para o universo do herói. Confira:

Sonic Mania (PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch)

Sonic Mania foi lançado em 2017, sendo um game comemorativo de 25 anos da franquia que retornou às raízes 2D do personagem, desenvolvido pela PagodaWest Games e Headcannon.

O game traz várias das fases clássicas de volta e ainda adiciona novas ideias a elas, em várias zonas extras. Muitos críticos viram o jogo como um retorno da série as origens devido ao grande número críticas negativas dadas aos antecessores.

Sonic Heroes (PlayStation 2, GameCube, Xbox)

Após a saída da Sega do mercado de consoles, Sonic Heroes foi o primeiro jogo do Sonic em 3D multiplataforma. O game conta com 12 personagens jogáveis, divididos em trios com habilidades próprias.

O Team Sonic, formado por Sonic, Tails e Knuckles levam a história principal, enquanto trios extras formados por outros heróis da franquia podem protagonizar campanhas menores.

A jogabilidade muda de acordo com qual personagem o jogador usa no momento, como Knuckles para lutar, Sonic para velocidade, Tails para voar. O game traz uma ótima trama, mesmo havendo alguns bugs que ainda eram comuns nos jogos 3D da Sega.

Sonic the Hedgehog 2 (Mega Drive)

Considerado como o melhor jogo da franquia por muitos fãs, a sequência de Sonic The Hedgehog expandiu todas as qualidades e ainda adicionou o personagem Tails, fases mais bem elaboradas e maiores, além de fases bônus, já simulando o conceito do 3D.

Sonic the Hedgehog 2 foi lançado em 1992, introduzindo também uma das coisas mais interessantes da franquia, a transformação do personagem em Super Sonic, a qual ocorria se o jogador conseguisse todas as Esmeraldas do Caos e 50 anéis.

Sonic the Hedgehog (Mega Drive)

O primeiro jogo da franquia ainda ocupa um espaço considerável no coração dos fãs, pois além da nostalgia envolvida, trata-se também de um excepcional game de plataforma com velocidade.

Sonic the Hedgehog
Imagem: Sonic the Hedgehog/ Sega

Vários ambientes secretos para explorar e fases desafiadoras, dentre as quais Green Hill Zone se tornou uma verdadeira marca registrada no universo do personagem.

O game fez do mascote da Sega, um personagem realmente único e uma figura emblemática, que tem seu espaço garantido na cultura POP.

Atualmente é possível jogar o título em diversas plataformas, como na coletânea Sega Genesis Classics para PS4, Xbox One e Switch. Além disso ele se encontra disponível gratuitamente para smartphones através da linha Sega Forever.

Sonic CD (Sega CD, PC)

Talvez Sonic CD seja um dos jogos mais divisores de opinião da fase 2D da franquia, sendo lançado em 1993 para o Sega CD.

Além de mais animações e fases maiores, o protagonista pode viajar no tempo para realidades alternativas, desde um passado antes de Robotnik se tornar vilão, até um futuro distópico onde ele venceu o Sonic.

Contudo, os cenários futurísticos e as viagens no tempo, foram criticados por muitos jogadores, pois algumas etapas precisavam ser resolvidas no passado, e outras no futuro para concluir as fases.

O game contava com uma abertura muito marcante e uma trilha sonora inesquecível chamada “Sonic Boom“.

Sonic Adventure (Dreamcast, GameCube, PC)

O primeiro jogo da franquia em 3D foi lançado em 1998 para o Dreamcast e estabeleceu um novo estilo de jogabilidade para o personagem, que se tornou a base para os games futuros.

Com uma trilha sonora impecável e uma história muito boa, o game faz uma breve introdução com elementos de RPG. Além disso, Sonic Adventure contava com fases sensacionais e trechos inesquecíveis, como a famosa cena de perseguição da baleia Orca.

Adventure
Imagem: Sonic Adventure/ Sega

Talvez um dos maiores acertos do jogo, é que ele trazia seis personagens jogáveis, cada um com sua própria campanha, sendo os tradicionais Tails, Knuckles e Amy e os novatos E-102 Gamma e Big the Cat.

Sonic & Knuckles (Mega Drive)

Knuckles decide acertar as contas com o Dr. Eggman por sua traição, e junto com Sonic pretende derrotar o vilão de uma vez por todas.

Na verdade, são dois jogos em um, onde ao jogar com Sonic há um caminho, com chefes diferentes da versão do Knuckles. Além disso, o estilo de jogo dos dois também acaba tendo muitas diferenças.

O cartucho original desse game tinha um sistema chamado Lock-On Technology, onde era possível jogar com o Knuckles nos antigos jogos Sonic the Hedgehog 2 e 3.

Sonic Adventure 2 (Dreamcast, GameCube)

A continuação direta de Sonic Adventure foi lançada em junho de 2001, sendo o último jogo da franquia a ser lançado para um console da Sega. O jogo marcou a estreia do rival Shadow the Hedgehog e da espiã Rouge the Bat.

A história é muito boa, melhorias gráficas, excelentes música e cenários mais bem elaborados, fizeram dele, um game inesquecível.

As histórias são divididas em três estilos de jogabilidade, sendo jogo de plataforma para Sonic e Shadow, “shoot ‘em up” para Tails e Eggman, e exploração para Knuckles e Rouge.

Sonic the Hedgehog 3 (Mega Drive)

Um dos mais difíceis jogos da fase em 2D, Sonic the Hedgehog 3 possuia lindos cenários, fases muito bem desenvolvidas, tempo de gameplay bem maior do que nos outros jogos, bifurcação específica para o Sonic e o Tails, além da primeira aparição de Knuckles the Echidna.

Assim como aconteceu com os seus dois antecessores, o jogo foi um sucesso de crítica e comercial após o lançamento em fevereiro de 1994.

the Hedgehog 3
Imagem: Sonic the Hedgehog 3/ Sega

A estação espacial Death Egg, cai em Angel Island, e os amigos Sonic e Tails precisam recuperar as Esmeraldas do Caos para impedir que a estação espacial seja reativada, ao mesmo tempo que enfrentam o guardião da Esmeralda Master.

Sonic em outras mídias

A Sega passou por altos e baixos ao longo dos anos, mas o simpático ouriço escolhido para ser o mascote oficial da marca, nunca deixou de ser reconhecido a amado pelos fãs.

A popularidade do Sonic foi tão grande, que o personagem começou a dar as caras em diversas mídias na década de 1990 e ainda continua gerando bons frutos em várias mídias diferentes.

Sonic: O Filme

Lançado em 2020, o filme trouxe uma nova versão do personagem em computação gráfica que interage com pessoas reais, entre eles o ator Jim Carrey marcando mais uma interpretação impecável como Dr. Robotnik.

Inicialmente, o design do Sonic não agradou os fãs, e devido à uma mobilização dos fãs na internet, o personagem foi repaginado e o filme se tornou um grande sucesso de público e crítica.

Atualmente o longa está disponível através do serviço de streaming Telecine Play. Para aderir gratuitamente por 30 dias, e conferir Sonic: O Filme, é só clicar aqui.

Sonic nos quadrinhos

A chegada do personagem no mundo dos quadrinhos também fez bastante sucesso, com diversas séries de HQs lançadas nos Estados Unidos. A mais popular delas, foi a revista publicada pela Archie Comics que foi de 1992 até o final de 2016.

Archie Comics
Imagem: Sonic The Hedgehog/ Archie Comics

Essa se tornou a revista do ouriço azul, publicada durante o maior tempo, com quase 25 anos e um total de 290 edições.

Ao longo do tempo a HQ foi passando por várias mudanças, deixando de ser uma comédia infantil e passando a focar em histórias mais complexas, sombrias e até mesmo agressivas.

Atualmente, uma nova série é publicada pela editora IDW e pode ser encontrada no Brasil como “Sonic the Hedgehog Vol 1: Depois da Guerra”.

Os desenhos animados

Assim como nos quadrinhos, houveram diversos desenhos animados baseados nos jogos da franquia Sonic the Hedgehog.

Alguns deles bem próximos dos games, como “Adventures of Sonic the Hedgehog” de 1993, que teve um total de 65 episódios, e outros com histórias originais, como “Sonic Underground” de 1999, com 40 episódios.

Uma das animações mais populares foi “Sonic X” de 2003, que trouxe um visual de animação japonesa e vários elementos de Sonic Adventure.

Outra versão muito querida pelos fãs, foi “Sonic Boom“, um reboot da série com Sonic, Tails, Knuckles, Amy e a nova personagem Sticks the Badger, que tinha o objetivo de trazer o universo do personagem para uma geração mais nova.

Atualmente uma nova animação chamada “Sonic Prime” se encontra em processo de produção. A série irá integrar o catálogo da Netflix, e tem previsão de estreia para 2022.

Boom
Imagem: Sonic Boom/ Netflix

E aí nerds, gostaram de saber mais sobre a história do personagem da Sega? Então deixe sua opinião sobre o nosso conteúdo nos comentários, e continue acompanhando as análises e as notícias para ajudar a equipe Proddigital POP a continuar crescendo!

Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários