Logo da empresa Funcom
Funcom - Divulgação
Fundação:1993
SedeOslo, Noruega
FundadorErik Gloersen, Andre Backen, Tyr Neilsen, Gaute Godager e Olav Morkrid
Atuais donosTencent
Países que operaAtuação Global
O que ofereceEditora de jogos

A Funcom é uma desenvolvedora e editora de jogos norueguesa que já está com mais de 30 anos ativa no mercado, sendo especializada em jogos online. Dona de franquias conhecidas internacionalmente, como é o caso de Conan Exiles, a empresa busca expandir-se cada vez mais, ainda mais agora, que tem conta com uma das maiores marcas do setor gamer em seu comando.

Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais a fundo a história e evolução da Funcom, o que ela oferece, seus principais jogos e muito mais. Acompanhe!

Quando a Funcom foi fundada?

A Funcom foi fundada no ano de 1993, na Noruega, mas já conta com relevância internacional dentro do mercado de jogos.

Quem são os fundadores da Funcom?

Por trás da fundação da empresa, estão os desenvolvedores Erik Gloersen, Andre Backen, Tyr Neilsen, Gaute Godager e Olav Morkrid. O grupo foi o grande responsável por criar a marca e guiá-la em grande parte do seu processo de evolução até tornar-se o que é hoje.

Quem são os atuais proprietários da Funcom?

Atualmente, a Funcom é uma subsidiária integral da gigante chinesa Tencent. Embora o estúdio já tenha atuado como uma empresa de capital aberto anteriormente, todas as ações foram adquiridas por sua atual empresa mãe, levando a sua saída da Bolsa de Valores onde estava listada.

O que a Funcom oferece?

Como mencionado, a Funcom atua no mercado de desenvolvimento e publicação de jogos, tendo títulos online como sua especialidade. Seu foco inicial era na criação de jogos multijogador massivos online, os famosos MMOs. Mas, pouco a pouco, a marca foi se expandindo no mercado, e explorando outros gêneros, apesar dos MMORPGs serem sua marca registrada.

Dentre suas franquias mais conhecidas, vale o destaque para Conan Exiles, além de obras como  Age of Conan, Anarchy Online e The Secret World. Mas há também muitos outros jogos desenvolvidos e/ou publicados pela empresa.

Passando por altos e baixos ao longo de sua história, a Funcom conta atualmente com escritórios instalados em Oslo, na Noruega; Lisboa, em Portugal; Carolina do Norte, nos Estados Unidos; Bucareste, na Romênia; e também em Estocolmo, na Suécia. Além de já ter possuído instalações em Dublin, Montreal e Pequim.

Com um projeto de expansão, sob a tutela da Tencent, a empresa também é proprietária atualmente de outras marcas subsidiárias, como é o caso da Zona Paradoxal e da Cabinet Group.

Um pouco da história da empresa

É impossível falar sobre a Funcom e não explorar sua rica e inspiradora história. Afinal, ela passou de um pequeno estúdio independente a uma marca relevante no mercado, comandada não apenas por uma das maiores empresas do ramo, mas sim do planeta.

Anos iniciais

A Funcom surgiu no início da década de 1990, sendo uma empresa independente, voltada para o desenvolvimento e edição de jogos. Nesse período, a marca criava títulos para outras empresas maiores, a fim de conseguir financiar seus próprios projetos.

O foco inicial se deu, principalmente, em jogos para PC, embora também houvesse a produção de títulos para outras plataformas, como tablets, celulares, etc. Nos anos seguintes, eles alcançaram também os consoles.

Lançando um projeto ambicioso

Entre 1994 e 2001, a empresa manteve ativo um pequeno estúdio subsidiário, o Funcom Dublin. Seu fechamento ocorreu graças à estratégia do grupo em se concentrar em um projeto mais ambicioso: Anarchy Online. Esse  jogo de ficção científica multiplayer massivo (MMO) foi seu título mais ambicioso até então.

Para ajudar em seu desenvolvimento e também para melhorar o atendimento ao público norte-americano, a empresa resolveu abrir um novo escritório, agora na  Carolina do Norte. Nessa época (início dos anos 2000), todo o grupo não passava de 25 funcionários.

Tornando-se uma empresa de capital aberto

Um passo importante no desenvolvimento inicial da Funcom foi seu processo de abertura de capital, que ocorreu ainda em 2005. Ela passou a ser listada na Bolsa de Valores de Oslo, e facilitou bastante a vida da marca na época, devido às melhores condições de financiamentos, entrada de capital, etc.

A virada de chave foi marcada também pela alteração no seu logotipo, que anteriormente um elmo viking com um bola espetada em um dos chifres do capacete. Agora, ele passou a utilizar somente o nome Funcom em um círculo estilizado.

Em 2007, outra alteração importante foi quanto a forma de distribuição dos jogos da empresa, que deixou de ocorrer em seu formato físico. A forte pirataria foi uma das motivações que levaram a marca a focar na distribuição digital.

Lançando Age of Conan

2008 foi um ano bem conturbado para a empresa, que lançou o primeiro título da série Age of Conan. Embora tenha conseguido alcançar bons números com o título, criando as bases para a continuidade da saga, a Funcom teve resultados bem abaixo do esperado no período. Isso levou a uma perca considerável de sua força de trabalho em solo americano.

A fase ruim se seguiu também em 2009, com o atraso no lançamento do jogo The Secret World. Para driblar a situação, ela acabou reduzindo em 20% sua equipe, ficando com 282 funcionários ao todo.

Quando finalmente saiu, em 2012, seu MMORPG não conseguiu se tornar o sucesso comercial esperado. Por isso, a Funcom demitiu (alguns de forma temporária) metade dos colaboradores da empresa. A concorrência direta com títulos já bastante conceituados no mercado, como Diablo III, foi um dos motivos que fez The Secret World não deslanchar em sua estreia.

Fase de reestruturação

O lançamento de LEGO Minifigures MMO, em 2014, também não vingou, o que levou a Funcom a se reestruturar completamente em 2015. Houve o fechamento/unificação de alguns escritórios, e uma análise mais profunda de quais estratégias deveriam ser adotadas para dar a volta por cima.

Para isso, além de lançar alguns jogos menores, em mercados específicos, realiza uma parceria com a Conan Properties International LLC. Assim, torna-se a principal marca na produção de jogos baseados no universo de Conan, o Bárbaro.

O título Conan Exiles chega ainda em janeiro de 2017 (no formato Acesso Antecipado/Early Access) e rapidamente se torna um grande sucesso. E os resultados positivos são seguidos também pela criação de Secret World Legends, um relançamento de The Secret World.

Ainda em 2017, como parte dessa nova virada de chave, há a troca do logotipo da Funcom (uma bandeira que forma a face de um homem), que é o utilizado até os dias atuais.

A chegada oficial de Conan Exiles, com o título agora finalizado, ocorreu em maio de 2018. Rapidamente, ele tornou-se o jogo mais vendido da história da empresa, alavancando o faturamento no segundo semestre do ano – o mais lucrativo de todos os tempos da Funcom.

A empresa é adquirida pela Tencent

No início de 2019, a Funcom adquire 50,1% da Zona Paradoxal (ZPX), estúdio de Lisboa com quem mantém parceria há alguns anos. E essa fase de expansão chega ao seu ápice quando ela é adquirida pela Tencent.

Tudo ocorre de forma parcial, com a gigante chinesa comprando 29% de suas ações em setembro de 2019, o que já a torna sua sócia majoritária. No entanto, ela decide adquirir a marca por completo, finalizando esse processo em julho de 2020. A partir desse ponto, a Funcom é retirada da Bolsa de Valores de Oslo. Todas as ações remanescentes tinham um valor estimado em cerca de US$ 148 milhões.

Os anos seguintes são marcados por mais expansões, como com a aquisição da  The Outsiders, um estúdio sueco de jogos; e da Cabinet Group, dona das propriedades intelectuais de personagens criados por Robert E. Howard, como  Conan, Solomon Kane e Mutant. Tudo isso em 2021.

Quais são os principais jogos da Funcom?

Depois de conhecer mais a fundo a história da Funcom, vale a pena mergulhar também em suas principais produções ao longo desses mais de 30 anos de existência.

Nesse caso, o que não faltam são jogos desenvolvidos e/ou publicados nesse período, a exemplo de títulos como Nightmare Circus           (1996), Speed Freaks (1999), Lego Minifigures Online (2015), Dune: Spice Wars (2023), dentre outros.

Conan Exiles

Sem dúvidas, o principal jogo criado pela Funcom é Conan Exiles, que integra uma franquia iniciada em 2018. O título de sobrevivência chegou para o PlayStation 4, Windows e Xbox One e explora justamente o universo de Conan, o Bárbaro, personagem já bastante conhecido do público.

Na premissa do jogo, os personagens acabam sendo condenados à morte, após cometerem diversos crimes. Por isso, são crucificados debaixo de um sol escaldante do deserto. Conan surge então para resgatar o jogador, que passa a viver como um exilado.

A missão é explorar Terras do Exílio, reivindicar uma parte como sendo seu lar, dominar o ambiente. Caçadas, instalações de armadilhas e muito mais. Há muito o que fazer caso queira sobreviver e prosperar.

Anarchy Online

Anarchy Online é um ambicioso MMORPG que foi desenvolvido e publicado pela Funcom ainda em 2001. O jogo foi pioneiro no gênero, ao incluir um cenário de ficção científica, testes gratuitos, missões dinâmicas e muito mais.

Seu enredo gira em torno de Rubi-Ka, que é um planeta desértico, e de Notum, um valioso mineral. O jogador, nesse caso, assume o papel de um colono recém chegado ao local.

Um ponto interessante é que o planeta é ocupado por diferentes raças, com personagens controlados por computador ou por outros jogadores. Assim, cria-se um novo personagem, e as ações desempenhadas ao longo do jogo, é que modulam o que irá ocorrer futuramente.

Tendo mais de duas décadas de lançamento, Anarchy Online permanece como um dos últimos títulos do gênero que conseguiram sobreviver, sendo, inclusive, um dos mais antigos.

Age of Conan: Unchained

10 anos antes da chegada de Conan Exiles, a Funcom já havia lançado um título relacionado ao universo do Bárbaro. Age of Conan: Unchained, ou Age of Conan: Hyborian Adventures, foi um MMORPG de fantasia lançado ainda em 2008. Nesse caso, a publicação da obra ficou nas mãos da Eidos Interactive, sendo voltado para o Windows.

O jogo explora o mundo Hyborian Age, cerca de um depois dos eventos de The Hour of the Dragon, outro romance de Robert E. Howard. Cada jogador consegue criar seu personagem, que serve como um avatar virtual, para participar da ação.

The Secret World

The Secret World é um MMORPG lançado em 2012 ambientado em um mundo sob ataque de forças ocultas. Assim, o jogador controla um personagem que se junta a uma sociedade secreta, entre três disponíveis, que controlam o mundo, evitando os avanços dessas entidades e seres imortais.

O cenário dessa obra é contemporâneo, e faz uma mescla com características encontradas em gêneros como terror, ficção, folclore, etc. É por isso que, a depender do nível, se pode encontrar figuras variadas, desde pescadores a zumbis, e de múmias a vampiros e lobisomens.

Diferentemente de outros MMORPGs, o personagem não precisa parar para que consiga utilizar grande parte dos seus ataques e habilidades. Tudo ocorre em movimento, tornando o combate muito mais rápido. E com a evolução ao longo do jogo, é possível desenvolver novas habilidades, preparando-se melhor para os desafios que estão por vir.

Como mencionamos, cinco anos depois de seu lançamento, o jogo teve uma reformulação e relançamento, agora como Secret World Legends, apresentando melhorias em relação a essa versão inicial.

Metal: Hellsinger

Metal: Hellsinger é um jogo de tiro em primeira pessoa da Funcom, que teve desenvolvimento pela The Outsiders. Ele chegou em 2022 para o Windows, PlayStation 4 e 5, Xbox One e Series X/S, e alcançou sucesso imediato com o público e com a crítica. Para se ter uma ideia, já passou de 1 milhão de jogadores, além de ter recebido prêmios como o Most Wanted PC Game e o Best Action Game da Gamescom.

Seu enredo começa com a chegada de uma alma perdida ao inferno, The Unknown, quando tem sua voz, memórias e músicas roubadas. Assim, a fim de recuperar o que lhe foi tirado, ele passa a enfrentar o governante do local, o The Red Judge, mas está trancado atrás de um portão inquebrável.

Considerações finais

Como foi possível observar, a Funcom é uma empresa importante dentro do cenário gamer atualmente, principalmente quanto a produção de jogos online. Passando por altos e baixos ao longo de sua história, a desenvolvedora norueguesa não só sobreviveu, como conseguiu se expandir bastante até os dias atuais. De um pequeno estúdio independente, conseguiu alcançar o status de uma subsidiária conhecida, dentro de uma empresa gigante como a Tencent.

Gostou do conteúdo? Então aproveite para explorar muitos outros materiais relevantes aqui no nosso site, conhecendo empresas tão atrativas quanto a Funcom. Boa leitura!

Carioca, estudante de Direito, servidora pública e apaixonada por vídeo games, tecnologia e cultura pop em geral. Tenho como hobbies consumir e produzir conteúdos relacionados a esses temas que me interessam, e adoro passar horas adquirindo conhecimento sobre os assuntos que mais gosto, tanto que mantenho um canal no Youtube sobre games há 4 anos. Meu contato com inglês vem de longa data, quando notei que para ter acesso a todo um universo de informações, dominar a língua era fundamental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui