Legado nos Ossos é uma produção espanhola que está no catálogo da Netflix desde abril de 2020, mas o que poucos sabem é que o longa faz parte de uma sequência de histórias que juntas formam a Trilogia Baztán.

A série de filmes é baseada na obra de Dolores Redondo, ganhadora do prêmio ¨Planeta de Novela¨ de 2016. Seu primeiro romance foi publicado em 2006 e leva o nome de ¨Los Privilios del Ángel¨.

Porém, somente em janeiro de 2013 a autora publicou o primeiro título da série Baztán Chamado ¨El guardián invisible¨ (Guardião Invisível).

A segunda parte da Trilogia chamada “Legado en los huesos” (Legado nos Ossos) foi publicada em novembro de 2013 e a finalização da sequência chegou em novembro de 2014 com o nome de “Oferenda a la Tormenta” (Oferta a Tempestade).

A obra por completo vendeu mais de 700.000 exemplares e foi traduzida para mais de 15 idiomas. Devido ao sucesso literário, em 2017 foi lançado o filme “Guardião invisível” que deu início a saga nos cinemas.

O longa é dirigido por Fernando González Molina e estrelado por Marta Etura, também conhecida pelo filme “Cell 211” (2009) que lhe rendeu um prêmio como melhor atriz coadjuvante. A produção ainda conta com a participação de Miguel Herrán e Paco Tous de “La Casa de Papel”.

Sua trama se passa em Elisondo, uma cidade da província de Navarra ao norte da Espanha, localizada nas duas margens do rio Bastán que dá origem ao nome da trilogia.

Neste thriller acompanhamos a investigação de Amaia Salazar aos crimes acontecidos na região, que por sinal se trata de onde a personagem viveu sua infância.

Imagem de divulgação do filme “O Guardião Invisível”

Em meio a procura por pistas sobre os assassinatos e os flashbacks da infância de Amaia, nos envolvemos com a vida pessoal da personagem e a de sua família. Além disso a produção também conta com alguns elementos do folclore local.

A narrativa acontece de forma lenta e a fotografia é extremamente gélida e escurecida onde quase todas as externas são chuvosas, criando um clima sombrio ao entorno da história.

A produção serve como base para os acontecimentos subsequentes e exerce de maneira competente a função de ambientar a relação entre os crimes ocorridos em Elisondo e o núcleo familiar de Amaia.

O segundo filme da sequência leva o nome de “Legado nos Ossos” e traz uma abordagem um pouco diferente que se encurva para rituais de bruxaria, mesclando com o suspense investigativo proposto pela obra de Dolores Redondo.

A autora ainda toca em temas como a violência contra mulheres, maternidade e liderança feminina, uma vez que a personagem central exerce uma profissão predominantemente masculina.

Fernando González Molina retorna na direção deste longa que desta vez conta com roteiro da própria Dolores Redondo em parceria com Luiso Berdejo.

Além do retorno de Paco Tous (La Casa de Papel)  a produção ainda conta com a participação do ator argentino Leonardo Sbaraglia que atuou nos filmes “Dor e Glória” e “Relatos Selvagens”, os dois indicados ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Legado nos Ossos tem início em 1611, ano que o inquisidor Alonso Salazar começava a investigar rituais que aconteciam na província de Navarra.

Porém, a trama se desenrola no ano de 2019 onde voltamos a nos encontrar com a inspetora Amaia que agora precisa lidar com a maternidade e as dificuldades da vida pessoal e profissional.

Inspetora Amaia Salazar em Legado nos Ossos (Netflix)/ Reprodução

A personagem desta vez, se encontra em meio a investigação de assassinatos em que os criminosos decepam um dos braços de sua vítima e cometem suicídio posteriormente, deixando somente um bilhete com a palavra “Tarttalo”.

Vale ressaltar que a trama também nos leva a um embate subscrito sobre a origem da maldade humana de uma visão religiosa que pode ocorrer partir de maldições e intervenções demoníacas, ou mesmo de uma abordagem psicológica, podendo ser explicada através de traumas ocorridos durante a infância e juventude.

O longa não traz em si um grande desfecho, deixando pendente algumas questões que poderiam ter sido melhor finalizadas.

No entanto a saga terá sua continuação em “Oferta a Tempestade”, produção responsável pela conclusão da saga que promete ter sua estreia ainda no ano de 2020.

Uma curiosidade é que Dolores Redondo ainda escreveu um prequel da trilogia que leva o nome de “La Cara Norte del Corazón”. Nesta obra publicada em dezembro de 2019 pela editora Planet Publishing, acompanhamos a juventude e o treinamento de Amaia Salazar no FBI. Será que ainda poderemos esperar por uma quarta produção?

Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários