Nesse domingo, dia 10 de março, acontece no Dolby Theatre, em Los Angeles, a 96ª edição do Prêmio da Academia, mais popularmente conhecido no Brasil como Oscar. A premiação, que é a mais importante do cinema mundial, será apresentada pela quarta vez por Jimmy Kimmel e é promovida pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (AMPAS). Desde 1937, Academia reconhece anualmente os melhores trabalhos produzidos pela indústria cinematográfica norte-americana e, porque não dizer, mundial.

Nos Estados Unidos, a cerimônia será transmitida ao vivo para todo o país pela emissora de televisão ABC, como ocorre tradicionalmente desde 1976. No Brasil, a cerimônia não deve ser transmitida ao vivo pela TV aberta. Assim, ela só poderá ser vista na TV fechada através do canal TNT, que há muitos anos transmite a cerimônia, e na plataforma de streaming Max (antiga HBO Max).

Seguindo o que temos feito durante toda a temporada de premiações, em que cobrimos as principais premiações da temporada, nos próximos dias publicaremos diversos textos em que analisaremos todos os concorrentes em cada uma das categorias do Oscar, além de prever quem vencerá a premiação em cada uma das categorias. Portanto, para não perder nenhuma das previsões, basta ler os textos que publicamos nos últimos dias e também os textos que publicaremos nas próximas horas em nosso site e em nossas redes sociais.

O que é o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante e o que ele premia

As categorias de ator e atriz coadjuvante são mais recentes que as categorias de melhor ator e atriz principal. Isso porque assim que o Oscar foi criado, a Academia não fazia distinção entre atrizes em papéis coadjuvantes e atrizes em papéis principais. Elas eram todas indicadas em uma mesma categoria que premiava as intérpretes do sexo feminino. Contudo, a partir de 1937, a Academia introduziu as categorias de atriz e ator coadjuvante.

Continue depois da publicidade

No início, inclusive, os premiados nessas duas categorias nem sequer recebiam a famosa estatueta do Oscar, mas sim uma placa comemorativa. Só a partir de 1944, os atores e atrizes coadjuvantes passaram a ser reconhecidos com uma estatueta da mesma forma que os atores e atrizes em papéis principais.

Essa importância menor em relação às categorias que premiam intérpretes em papéis principais existe até hoje. Enquanto as categorias que premiam atores e atrizes em papéis principais são apresentadas com destaque no final da cerimônia de premiação, as categorias de atriz e ator coadjuvante têm muito menos destaque na cerimônia. Geralmente, uma delas, inclusive, já é a primeira categoria apresentada na noite para, assim, já começar a cerimônia em grande estilo. A outra categoria, é apresentada mais no final junto com outras categorias importantes, mas não tão importantes quanto as cinco principais.

Da’vine Joy Randolph em cena de Os Rejeitados. Créditos: Focus Features.
Da’vine Joy Randolph em cena de Os Rejeitados. Créditos: Focus Features.

Mas como definir o que é um papel principal e um papel coadjuvante? Isso é muitas vezes realmente difícil de se definir. Em muitos casos, atrizes principais e coadjuvantes têm o mesmo tempo de tela em um filme. Ou então, os personagens têm a mesma importância dentro do enredo do filme. Por isso, atualmente, a princípio, são os intérpretes e estúdios que decidem em qual categoria irão concorrer.

Assim, muitos atores e atrizes escolhem concorrer nas categorias destinadas a premiar intérpretes coadjuvantes afim de melhorar suas chances de vitória. Isso, aliás, já ocorreu inúmeras vezes. Alguns exemplos famosos, são do Tommy Lee Jones em O Fugitivo (1993) e de Jennifer Connelly em Um Mente Brilhante (2001).

Continue depois da publicidade

Essa regra da Academia, evita que atores e atrizes sejam indicados nas categorias destinadas a premiar intérpretes em papéis principais e em papéis coadjuvantes pelo mesmo papel no mesmo filme. Por mais incrível que pareça, isso já ocorreu em 1945 quando Barry Fitzgerald foi indicado a Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante por sua atuação em O Bom Pastor (1944). Foi esse fato, aliás, que fez com que a Academia modificasse suas regras para impedir que isso voltasse a acontecer.

Atualmente, Dianne Wiest e Shelley Winters são as pessoas com mais vitórias nessa categoria, com duas no total. Já Thelma Ritter é a pessoa com mais indicações nessa categoria, com seis no total. Lembrando que para ser elegível a concorrer nessa categoria, a atriz deve ter atuado em um filme que tenha estreado de meia-noite de primeiro de janeiro até meia-noite de 31 de dezembro de um determinado ano no Condado de Los Angeles, na Califórnia, para ser elegível a concorrer nessa categoria. Assim, todos os atores indicados ao Oscar 2024 na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, atuaram em filmes que estrearam em Los Angeles entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2023.

Além disso, o filme deve ser exibido por ao menos sete dias consecutivos, em pelo menos três sessões diferentes, com pelo menos uma das sessões ocorrendo entre 6 da tarde e 10 da noite no horário local. Filmes que não sejam em inglês devem também possuir legendas em inglês. Com exceção das categorias de Melhor Filme Internacional, Melhor Documentário e as categorias dedicadas a premiar curtas-metragens, todas as outras categorias são regidas por essas regras.

Quem vencerá a categoria de Melhor Atriz Coadjuvante em 2024

Essa é mais uma das categorias em que temos uma grande favorita, que no caso é Da’Vine Joy Randolph por seu desempenho em Os Rejeitados. A elogiada atuação da atriz fez com que ela ganhasse praticamente todos os prêmios mais importantes da temporada, incluindo o Globo de Ouro, o BAFTA e o Screen Actors Guild Awards (ou “SAG Awards”, como é mais conhecido). Esse último, inclusive, é provavelmente o prêmio mais importante de ser observado por quem tenta prever quem vencerá as categorias do Oscar dedicadas a premiar intérpretes. Isso porque, o SAG Awards é organizado pelo Screen Actors Guild ou Sindicato dos Atores dos Estados Unidos, em português

Continue depois da publicidade

Como já explicamos algumas vezes em nossos textos sobre a temporada de premiações, os prêmios entregues por sindicatos profissionais são uma prévia importante em todas as categorias, já que praticamente todos os profissionais com carreira já estabelecida em Hollywood são filiados a esses sindicatos e, assim, todos os membros votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood são filiados a esses sindicatos. Dessa forma, muitos dos que votam no Oscar também votam nesses prêmios organizados por sindicatos profissionais.

Emily Blunt em cena de Oppenheimer. Distribuição: Universal Pictures.
Emily Blunt em cena de Oppenheimer. Distribuição: Universal Pictures.

Por tudo isso, é muito difícil imaginar que Randolph saia da cerimônia dessa noite sem uma vitória nessa categoria. Ainda sonhando com uma possível vitória está Emily Blunt por sua atuação em Oppenheimer. Além da ótima atuação, a personagem de Blunt na obra, a cientista Kitty Oppenheimer, esposa de J. Robert Oppenheimer, tem um papel bastante importante no filme que, provavelmente, será o maior vencedor da noite. Por isso, a atriz ainda pode sonhar em eventualmente derrotar Randolph, mas sabendo que isso será algo difícil de ocorrer.

As outras três indicadas nessa categoria, Danielle Brooks, America Ferrera e Jodie Foster, tem pouquíssimas chances de vitória essa noite. A indicação de Ferrera surpreendeu muita gente, já que ela não foi indicada a praticamente nenhum outro prêmio nessa temporada. Contudo, essa indicação significará, seguramente, um revival na carreira da atriz que vinha em baixa desde o cancelamento da série Ugly Betty.

Já Danielle Brooks e Jodie Foster vivem momentos diferentes de suas carreiras. Brooks está no primeiro papel significativo de sua carreira e já conseguiu uma indicação ao Oscar. Já a veterana Foster é uma das atrizes mais respeitadas e bem-sucedidas de sua geração e conta com cinco indicações e duas vitórias no Oscar. Apesar de tudo isso, uma vitória de Brooks, Foster ou Ferrera seria considerada uma enorme surpresa.

Melhor Atriz Coadjuvante

  • Emily Blunt – Oppenheimer (Tem Chances de Vencer)
  • Danielle Brooks – A Cor Púrpura (Corre por Fora)
  • America Ferrera – Barbie (Corre por Fora)
  • Jodie Foster – Nyad (Corre por Fora)
  • Da’Vine Joy Randolph – Os Rejeitados (Vencerá o Oscar)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui