Pôster do evento Fantasia Montreal
Fantasia Montreal - Divulgação
Primeira edição1996
Onde ocorreUniversidade Concordia, Montreal, Canadá
FundadorPierre Corbeil, Martin Sauvageau e André Dubois
Tipo de premiaçãoVaria, incluindo Melhor Filme, Diretor e Roteiro
Quando é realizado?Verão, geralmente de julho a agosto

O Fantasia Montreal, como é conhecido o Fantasia International Film Festival, é um famoso festival de cinema anual que ocorre em Montreal, na província de Quebec, no Canadá.

Este evento é muito conhecido por seus esforços na promoção do cinema imaginativo, sendo considerado um dos maiores e relevantes festivais de cinema de gênero da América do Norte. Também atrai atenção da indústria cinematográfica internacional e reúne cinéfilos do gênero de todas as partes do mundo.

Neste artigo, nós aprofundaremos em detalhes da história do Fantasia Montreal, sua importância na indústria cinematográfica e conheceremos também alguns dos principais destaques que tornaram o festival um marco no setor. Acompanhe!

O que é o Fantasia Montreal?

O Fantasia Montreal, como mencionado, é um festival de cinema internacional que é exibido na cidade que dá nome ao evento, acontecendo anualmente entre os meses de julho e agosto. Nesse caso, a cerimônia se concentra na exibição de filmes de ficção científica, terror e fantasia.

Continue depois da publicidade

O objetivo do festival é dar visibilidade à produções pequenas, com baixo orçamento e dar espaço a cineastas independentes. Graças aos esforços dos organizadores e da proporção que o evento ganhou, passou a ser considerado o maior do gênero em todo o território norte-americano.

A cerimônia conta com inúmeras seções. Uma das principais, por exemplo, é a Cheval Noir, que premia os melhores filmes; há também o Câmera Lúcida Award, para filmes inovadores; e o New Fresh Award para o melhor filme de estreia; entre outros.  

Os ganhadores são agraciados com uma estátua que é a representação de um Pegasus nego, o mascote do festival.

Quando foi criado o Fantasia Montreal?

A história do Fantasia Montreal iniciou-se em 1996, ano em que houve sua primeira edição.

Continue depois da publicidade

Quem criou o Fantasia Montreal?

O Fantasia Montreal foi criado por Pierre Corbeil, André Dubois e Martin Sauvageau, a partir da preferência do trio pelo gênero.

Um pouco da história do festival

A trajetória do Fantasia Montreal começou quando Pierre Corbeil, André Dubois e Martin Sauvageau perceberam que não estavam sozinhos em seu gosto pelo gênero de fantasia. Assim, resolveram criar um evento com o propósito de reunir todos esses amantes. A primeira edição do festival, como mencionado, aconteceu no meio final da década de 90, e contou com um mês inteiro de festividade.

Em seus primeiros anos, a cerimônia não contava com nenhum tipo de apoio governamental, mantendo-se apenas com financiamento privado. Mesmo assim, logo em sua primeira década, o Fantasia Montreal ultrapassou festivais mais famosos como Festival of New Cinema e Montreal World Film Festival e conseguiu se destacar, passando a receber patrocínio público e privado.

A criação da plataforma Frontières

Para ajudar projetos com potencial, a fantasia Montreal criou em 2012 a plataforma Frontières, um evento anual que tem o propósito de reunir diretores, produtores, distribuidores e patrocinadores de filmes do gênero de todas as partes e apresentá-los com propósito de fechar contratos, respectivamente.

Continue depois da publicidade

Público presente

Com o sucesso, veio também o aumento frequente do público que chega para conhecer o festival. Um feito importante, e que vale destacar, ocorreu em 2016, quando finalmente o evento ultrapassou os 100 mil participantes, média que continua em crescimento nos dias atuais.

Ampliação do catálogo de exibição

Assim como o público, a própria grade de exibição do Fantasia Montreal também cresceu consideravelmente ao longo dos anos. Para se ter uma ideia, em 2011 foram 19 estreias mundiais, com uma programação composta de 134 filmes, oriundos de 25 países diferentes. Já em 2017 o evento exibiu mais de 150 longas e 300 curtas-metragens.

Filmes memoráveis que já foram premiados no Fantasia Montreal

Depois de conhecer mais sobre o Fantasia Montreal, nada mais adequado do que conferir também algumas produções destacáveis que já foram premiadas durante os anos de realização do festival.

Nesse caso, vamos trazer aqui uma lista com alguns filmes que venceram a categoria principal do evento, levando o Prêmio Cheval Noir de Melhor Filme. Acompanhe!

Continue depois da publicidade

Coisa Ruim

“Coisa Ruim” (Blood Curse) é um filme português de terror sobrenatural dirigido por Tiago Guedes e Frederico Serra. O enredo gira em torno de Xavier Oliveira Monteiro, um botânico que vive em Lisboa, e acaba herdando uma antiga mansão em uma pequena aldeia na região de Seia, após a morte de seu tio.

Ao mudar-se com sua família para a misteriosa mansão, Xavier se depara com uma comunidade local profundamente supersticiosa e mergulhada em crenças ocultas. O filme aborda a temática da possessão demoníaca, explorando as complexas interações entre superstições, ceticismo, suspeitas e medos que permeiam a vida na aldeia.

A trama se desenvolve à medida que Xavier inicia um estudo sobre a flora da região, enquanto confronta os segredos sombrios da mansão e os mistérios envolvendo os habitantes locais. Com atuações marcantes de Adriano Luz, Sara Carinhas, Manuela Couto e José Afonso Pimentel, “Coisa Ruim” mergulha profundamente no desconhecido, criando uma atmosfera de tensão crescente que mantém os espectadores à beira de seus assentos.

O filme foi exibido no Fantasia Montreal de 2006 e acabou ficando com a premiação principal da cerimônia: o Prêmio Cheval Noir de Melhor Filme.

Continue depois da publicidade

Doomsday Book

Outro que já venceu o prêmio principal do Fantasia Montreal  foi o filme “Doomsday Book”, isso na edição de 2012. Trata-se de uma obra antológica sul-coreana dirigida por Kim Jee-woon e Yim Pil-sung – que também escreveu a história. Este intrigante filme apresenta três histórias distintas. Elas exploram a autodestruição da humanidade na era moderna de alta tecnologia, enquanto também oferece uma visão alternativa da genuinidade humana e compaixão.

A primeira história, intitulada “Um Admirável Mundo Novo,” é uma sátira política que aborda um surto viral de zumbis. O segmento mergulha profundamente na paranoia e no caos que acompanham a disseminação do vírus. Tudo isso enquanto critica a sociedade contemporânea e suas respostas extremas a ameaças desconhecidas.

A segunda história, “A Criatura Celestial,” levanta questões filosóficas fascinantes sobre a capacidade de um robô alcançar a iluminação espiritual. Essa narrativa desafia as fronteiras entre a tecnologia e a espiritualidade, questionando o que define a consciência e a humanidade.

Por fim, “Parabéns” oferece um vislumbre de um vínculo familiar disfuncional que é testado durante um apocalipse. A história examina como a dinâmica familiar pode persistir e se transformar em tempos de crise, destacando a resiliência e a adaptabilidade humanas.

Continue depois da publicidade

“Doomsday Book” é um filme que navega entre os gêneros de ficção científica, horror e comédia, enquanto aborda questões profundas sobre a natureza humana e a sociedade contemporânea. Com sua abordagem provocativa, a obra oferece aos espectadores uma experiência cinematográfica instigante que provoca reflexão sobre o futuro da humanidade. Isso em um mundo cada vez mais tecnológico.

Big Bad Wolves

Quem ficou com o Prêmio Cheval Noir de Melhor Filme da edição do Fantasia Montreal de 2013 foi a obra “Big Bad Wolves”. Trata-se de um filme israelense escrito e dirigido por Aharon Keshales e Navot Papushado. A trama, provocante e sombria, mergulha os espectadores em uma história complexa e perturbadora centrada em três adultos israelenses: Dror, Gidi e Micki.

O enredo se desenrola em torno do sequestro de um jovem professor (Dror) por parte dos três homens, que o submetem a torturas físicas e interrogatórios brutais. A motivação por trás dessa violência é a investigação do caso de assassinato e estupro de uma jovem ocorrido na floresta. O filme se aprofunda nas questões morais e psicológicas dessa busca pela verdade, levantando a questionamento sobre justiça, vingança e o limite entre o certo e o errado.

Seu elenco inclui nomes pouco conhecidos do grande público, como Lior Ashkenazi, Rotem Keinan, Tzahi Grad e Doval’e Glickman, mas que entregam atuações impressionantes, contribuindo para a atmosfera tensa e angustiante do filme.

Continue depois da publicidade

“Big Bad Wolves” é notável por sua abordagem corajosa e desconfortável a temas mais sombrios, bem como por sua narrativa acelerada. O filme desafia as expectativas tradicionais do gênero e oferece uma experiência cinematográfica intensa.

Uma das críticas mais positivas feitas a obra foi a do premiado diretor Quentin Tarantino, que elogiou bastante o filme. Assim, elegendo-o como o melhor de 2013, em sua opinião.

Invasão Zumbi

O destaque dentre os longas exibidos no Fantasia Montreal de 2016 fica para o “Invasão Zumbi” (Train to Busan). Esse é um filme sul-coreano que combina elementos de apocalipse zumbi, suspense e ação, dirigido por Yeon Sang-ho e estrelado por Gong Yoo, Jung Yu-mi, Ma Dong-seok e Kim Su-an.

A história segue a jornada angustiante de um executivo obcecado por trabalho, Seok-woo, e sua pequena filha, Su-an, a bordo de um trem que viaja de Seul para Busan, em meio ao surto de uma doença misteriosa que transforma as pessoas em zumbis.

Continue depois da publicidade

O filme se destaca por sua trama envolvente e pela tensão constante que se desenrola no apertado espaço de um trem. Enquanto os zumbis invadem o trem, os passageiros lutam pela sobrevivência, e Seok-woo é forçado a se transformar de um pai ausente em um herói determinado a proteger sua filha e os sobreviventes restantes.

A narrativa também aborda temas mais profundos, como sacrifício, empatia e a natureza humana em situações extremas. Os personagens complexos e as relações interpessoais adicionam camadas emocionais à trama, tornando-a cativante para o público.

Just a Breath Away

“Just a Breath Away” (título original francês: “Dans la brume”) é um suspense canadense-francês dirigido por Daniel Roby e escrito por Guillaume Lemans. O filme apresenta uma premissa intrigante que combina drama familiar, suspense e sobrevivência em um cenário de desastre natural.

A história começa com a introdução de Sarah, uma jovem parisiense que sofre de uma doença rara de “alergia total”, o que a obriga a viver em cápsulas hermeticamente fechadas para evitar qualquer exposição ao ambiente exterior. Seus pais, Mathieu e Anna, são cientistas determinados a encontrar uma cura para a condição de sua filha, o que cria uma tensão emocional profunda na família.

Continue depois da publicidade

Entretanto, o enredo toma um rumo sombrio quando um terremoto aparente desencadeia a liberação de um gás mortal do subsolo, que se espalha pelas ruas de Paris. Isso resulta em uma corrida contra o tempo para escapar da névoa tóxica que rapidamente mata qualquer pessoa que a inale.

“O Último Suspiro” – uma tradução comum para o título – explora não apenas a luta pela sobrevivência em um cenário apocalíptico, mas também a determinação de uma família em proteger seu ente querido. O filme oferece sequências de suspense emocionantes enquanto os personagens enfrentam obstáculos e decisões difíceis em busca de segurança.

A obra foi exibida no Fantasia Montreal de 2018, e assim como os demais filmes dessa lista, foi o grande destaque da cerimônia, agraciado com o Cheval Noir.

Voice of Silence

Por fim, vale a pena mencionar também o vencedor do Cheval Noir de Melhor Filme em 2021: “Voice of Silence” (título original “Sorido Eopsi”). Trata-se de um drama policial independente sul-coreano, escrito e dirigido por Hong Eui-jeong.

Continue depois da publicidade

O filme gira em torno da improvável equipe formada por Tae-in, que é um jovem mudo, e Chang-bok, um idoso bastante religioso. Eles trabalham juntos como no setor de limpeza dentro de uma organização criminosa.

A trama se desenvolve quando a dupla recebe uma ordem para cuidar de uma menina de 11 anos chamada Cho-hee, que foi sequestrada. A responsabilidade, no entanto, recai diretamente sobre Tae-in, que vive com sua irmã mais nova. Eles não têm ideia do que fazer com a garota e se encontram em uma situação perigosa.

A narrativa do filme explora temas de responsabilidade, moralidade e a relação complexa entre os personagens. Tae-in e Chang-bok enfrentam um dilema moral quando se veem cuidando de uma criança sequestrada. Suas ações e decisões durante os dois dias em que cuidam de Cho-hee têm consequências profundas.

Considerações finais

Como foi possível observar, o Fantasia Montreal ou Fantasia International Film Festival faz jus ao destaque que possui quanto a indústria cinematográfica de filmes de ficção científica, terror e fantasia. Afinal, contribui diretamente para o reconhecimento e incentivo das obras dentro do setor. E não à toa, é considerado como um dos mais importantes do gênero em toda a América do Norte.

Carioca, estudante de Direito, servidora pública e apaixonada por vídeo games, tecnologia e cultura pop em geral. Tenho como hobbies consumir e produzir conteúdos relacionados a esses temas que me interessam, e adoro passar horas adquirindo conhecimento sobre os assuntos que mais gosto, tanto que mantenho um canal no Youtube sobre games há 4 anos. Meu contato com inglês vem de longa data, quando notei que para ter acesso a todo um universo de informações, dominar a língua era fundamental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui