análise-de-severance

Separar as memórias relacionadas ao trabalho das memórias da vida pessoal. Essa é a premissa de Severance (em português, “Ruptura“), série de suspense da AppleTV+ e umas das (boas) surpresas de 2022.

Criada por Dan Erickson, Severance tem episódios com direção de Ben Stiller (Zoolander; A Vida Secreta de Walter Mitty) e Aoife McArdle.

A trama de Severance

A história acompanha Mark S. (Adam Scott), um funcionário da Lumon Industries. Após perder a esposa em um acidente, Mark acaba aceitando um emprego na Lumon, onde faz o procedimento de ruptura.

mark-scout
Adam Scott interpreta Mark S – Imagem: Divulgação.

Em outras palavras, é como se Mark vivesse “duas vidas” diferentes. Uma no trabalho e outra ao sair dele. Assim, o “Mark do trabalho” não sabe nada sobre sua vida pessoal, assim como o “Mark de fora” não tem nenhum conhecimento sobre o que faz no trabalho.

Continue depois da publicidade

A equipe de Mark S.

Depois que seu amigo Petey (Yul Vazquez) é demitido, Mark se torna o líder da equipe formada por Dylan (Zach Cherry) e Irving (John Turturro).

severance-funcionários
Mark (Adam Scott), Dylan (Zach Cherry), Irving (John Turturro) e Helly (Britt Lower) tentam desvendar mistérios da Lumon Industries – Imagem: Divulgação.

A princípio, eles não parecem estar insatisfeitos com o trabalho. Entretanto, a demissão repentina de Petey e a chegada de uma nova funcionária – Helly (Britt Lower) – acaba criando dúvidas e questionamentos perturbadores sobre a Lumon.

A Ruptura: uma questão moral

Como mencionado, o procedimento de ruptura separa as memórias da vida profissional das memórias da vida pessoal. Dessa forma, os funcionários aceitam anteriormente passar pelo procedimento cirúrgico, que é irreversível.

severance
Helly fazendo a ruptura – Imagem: Divulgação.

O tema traz inúmeras discussões. Uma delas em relação ao trabalho. Seria a ruptura uma solução para aqueles que sonham com uma maior produtividade no trabalho, por exemplo?!

Continue depois da publicidade

Mas, quais as repercussões de não possuir suas próprias lembranças no ambiente de trabalho? Desse modo, a série também traz à tona questões existenciais, como “qual o papel de nossas experiências na construção de quem realmente somos?”

Assim, um dos pontos altos da trama acaba sendo a oposição entre o “funcionário” e a pessoa “de fora”, já que ambos não se conhecem e por isso, podem ter vontades e desejos diferentes.

Cenários e planos em Severance

Um dos grandes destaques de Severance é a forma que a série utiliza seus recursos visuais como cenários, iluminação e enquadramentos de maneira complementar à narrativa.

lumon

Na Lumon Industries, por exemplo, predominam cenários minimalistas, com paredes brancas, que lembram imensos labirintos.

Continue depois da publicidade

Além disso, é comum o uso do primeiro plano (quando a câmera se aproxima bastante do personagem) a fim de mostrar a intensidade das emoções através de suas expressões.

Trilha sonora

Theodore Shapiro (O Diabo Veste Prada) é o responsável pela trilha sonora da série. Em entrevistas anteriores, o compositor revelou que começou a escrever temas logo depois que começou a ler o roteiro.

Uma de suas primeiras ideias musicais interessou Ben Stiller de tal forma que deu origem ao tema de “Severance”. Desse modo, a trilha sonora destaca a atmosfera de mistério da série a partir de uma combinação de piano e cordas. Confira a abertura:

Patricia Arquette, Dichen Lachman, Jen Tullock, Tramell Tillman, Michael Chernus e o vencedor do Oscar Christopher Walken integram o elenco da produção.

Severance tem 9 episódios, disponíveis na AppleTV+. A série já foi renovada para uma segunda temporada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui